16 fevereiro 2012

Oração



Existem tantas palavras no mundo
E não chegam para te dizer
O que calo aqui dentro de mim.
E sou eu tão pequena
E é imenso o vazio que guarda
As palavras que não chegam
Para te dizer o que calo dentro de mim.
E se eu pudesse apenas dizer
Que o tempo não consegue branquear
A escuridão deste vazio
Ah se eu pudesse, eu te contaria
Das coisas únicas que penso
Que sinto e tenho guardadas
Num espaço pouco maior
Que as minhas duas mãos unidas
Nelas guardo a eternidade
Das palavras
Que nunca serão proferidas.

2 comentários:

Rogério Pereira disse...

Que não seja dada
a eternidade a uma palavra
necessária

Esperamos, ansiosamente,
que as palavras proibidas
sejam... proferidas

Giuseppe Pietrini disse...

E se acaso as palavras até fossem proferidas, um dia?... O que são palavras? Alguma vez conseguiram traduzir completamente os sentimentos que estão por trás destas?

Não. Actos precisam-se. E o silêncio é um desses.