22 dezembro 2007

A minha mensagem de Natal



Paz na Terra aos homens de boa vontade!

E, entrando o anjo onde ela estava disse: "Salve, agraciada; o Senhor é contigo. Lucas 1:29 Ela, porém, ao ouvir estas palavras, turbou-se muito e pôs-se a pensar que saudação seria essa. Lucas 1:30

Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. Lucas 1:31

Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Lucas 1:32

Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai; Lucas 1:33 e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.
Lucas I-28:31


Natal! Jubiloso cantar em radiante agradecimento outrora em todos os planos da Criação quando o Filho de Deus, Jesus, nasceu num estábulo em Belém e os pastores dos campos - aos quais foi tirada a venda dos olhos espirituais durante aquela revelação alegre do Universo para que pudessem testemunhar o grande acontecimento imensurável e chamar a atenção dos homens – caíram de joelhos, cheios de temor, pois estavam dominados por aquilo que para eles era novo e incompreensível.
sentiram medo os pastores, por momentos foram tornados clarividentes e também ouviram coisas extra terrenas, para esse fim. Medo ante a grandeza do acontecimento, ante a omnipotência de Deus que em tal manifestação se mostrava!

Por isso lhes falou das alturas luminosas o mensageiro, a fim de acalmá-los: Nada temais!


Nesta noite de Natal aquietai-vos
Correm palavras ocas e pensamentos mundanos.
Voam almas perdidas por montes e vales
vales da sombra da morte.
Febris, delirantes, em devaneios
Aquietai-vos!
O caminho parte de dentro,
pérolas salgadas descem montanhas
correm silenciosas, perdidas
em preces inconscientes sobem aos céus
No silêncio da noite.
Eis que brilha serena a luz!
Aguardamos Senhor a Vossa vinda
Vinde senhor Jesus!





Mensagem de Natal


"A vida não é um corredor direito e fácil de percorrer no qual possam caminhar livremente e sem limitações, mas sim um labirinto com diversas passagens, através das quais temos de procurar o nosso caminho, perdidos e confusos, em que de quando em vez acabamos por ir dar a um beco sem saída. Mas, se tivermos fé, Deus abrir-nos-á, sempre uma porta, talvez não aquela que nós próprios tenhamos planeado, mas uma que, na sua essência, provará ser boa para nós."

A.J. Cronin

11 dezembro 2007

Sobre o Decreto do bispo de Worms






Excerto da obra "1147 - O Tesouro de Lisboa", da autoria de Paulo Moura, jornalista do diário Público. "neste romance, baseado em factos reais, Paulo Moura, repórter de guerra do séc.XXI, faz uso da técnica e da lingugem jornalística para nos relatar o ambiente de guerra que assolava Lisboa no século XII.".......





-" Pois então, segundo o Decreto do bispo de Worms, redigido há mais de cem anos, terás, como penitência, de permanecer dez dias a pão e água.

A seguir vieram as perguntas sobre copular durante as regras, engolir o esperma dos homens, sobre felação, sodomia, masturbação e fornicação de monges. Como as respostas fossem todas positivas, a pena acumulada saldou-se num calvário de penitências a cumprir em vinte anos.Mas depois veio a parte boa.

- Para que o teu amado se apaixone por ti - explicou Cenóbio pausadamente - deves arranjar um peixe vivo, introduzi-lo no sexo e mantê-lo aí até que esteja morto.Então podes retirá-lo e, depois de o teres cozido ou grelhado, deves dá-lo a comer ao homem que o teu coração escolheu." (Fim de citação)



No princípio do século XI é recolhido e comentado [o chamado Cannon Episcopi] nas suas Decretaeles por Burchard, bispo de Worms de 1006 a 1008, ou 1025, data da sua morte. Com efeito, vários cânones, que tratam das sanções, declaram que todo aquele que acreditar (entre outras coisas) nos voos das bruxas deve fazer penitência durante dois anos e, fiéis nisso a Santo Agostinho, esclarecem que a multidão que der fé a estas cavalgadas nocturnas recai no paganismo, visto tomar por reais as ilusões e os sortilégios diabólicos.

10 dezembro 2007

Conversa entre um “puto” roubado à porta da escola e um ladrão




Pela 4.ª vez o João foi assaltado.
Anteriormente já tinha ido à P.S.P. participar o roubo. Só foi lá uma vez! Da primeira vez.
Apesar de os larápios serem também miúdos, é necessário ir ao Arquivo de Identificação visualizar centenas de fotos quando se apresenta queixa para, cumprir uma série de requisitos no âmbito da participação da ocorrência.
Uma maçada para a mãe do João, e uma alegria para o “puto” , assim já não vai à escola ....uma manhã "na Gomes Freire" é uma aventura para um miúdo de 14 anos. Ou será que é uma seca??


Cenas do último assalto:
- “Dá-me” o blusão! ....o João despiu o blusão obediente....
- “Tira a a camisola!”.... o João despiu a camisola obediente...
- “Agora dá-me o telemóvel!.....o João deu o telemóvel , obediente ....
- “Como foste um gajo obediente podes ficar com o cartão do telemóvel!!”
- “Obrigado!!!!....foste fixe comigo! “ .........disse o “puto” assaltado.
Eis- nos perante um ladrão consciencioso com um código de ética profissional que faria inveja a muitos políticos!.....
É que pelo caminho que "isto" leva , ficaremos nús ....e sem cartão algum ...nem o da Segurança Social
Sinais dos tempos modernos (ou não).
Aguardemos uma nova geração de ladrões.....

07 dezembro 2007

Presente de Natal


Com fita de veludo verde,
e cheirinho de alfazema,
recebe este presentinho
em papel azul celeste.
Com ternura e carinho
retribuo o que me deste.
Aqui vai uma imagem do Menino.
Menino Jesus Divino.
que nasceu há dois mil anos
para nos vir resgatar
Livrar-nos do mal eterno
e ao céu nos elevar.

27 novembro 2007

Portugal Oculto -Forúm

Todos os créditos da publicação desta matéria são devidos ao site http://www.comunidade-espiritual.com

Base Intra-Oceânica em Oeiras-Rodrigo Romo


*Formação não natural na costa de Portugal, bem próximo a Lisboa, em Oeiras, que fica próximo de Sintra.*

MILITARES NORTE-AMERICANOS INTERESSADOS EM IMAGEM CAPTADA DA COSTA PORTUGUESA


Uma fonte altamente colocada, informou-me e cedeu-me imagens de uma zona específica da costa portuguesa que está a ser "vasculhada" pelos satélites militares norte-americanos.
A razão é simples: após várias "passagens" sobre Portugal da Estação Espacial Internacional, e tendo sido feitas pelos astronautas norte-americanos, milhares de fotografias da costa portuguesa, depararam-se com a situação insólita de que, próximo de Lisboa, mais propriamente no fundo do oceano, em frente a Oeiras a escassas centenas de metros de distância do comando Ibero Atlântico havia algo perturbador no fundo do mar: a existência de uma "formação extremamente anómala", aparentemente de origem geológica.
De imediato satélites com detectores de infra-vermelhos e de "mapeamento" geológico foram "deslocados" para efectuarem várias "passagens" de rasteio daquela zona marinha.

Com os elementos obtidos chegaram a várias conclusões:

- existe uma formação "criada" artificialmente e não geologicamente (apesar de, a escassa distância, existir uma linha de "fractura");

- esta "formação" que está a poucas dezenas de metros de profundidade, é recente (provavelmente com poucas centenas de anos) e a sua formação não pode ser atribuída a uma construção feita por humanos, uma vez que o fim da última glaciação, que fez subir o nível dos oceanos, foi há milhares de anos;

E agora o mais interessante:

- que esta "formação" não é mais do que uma "depressão" perfeitamente simétrica feita por "um objecto artificial" de grandes dimensões e pesando milhares de toneladas.



Fonte:satelites dos EUA

Uma análise feita pelo Sr. Luís Correia, quanto às reais dimensões da "depressão" determinou os seguintes valores:

Aqui é possível, ter uma noção do tamanho e da área ocupada pela estrutura, o que nos relembra as fotografias em solo marciano. Existem imagens muito similares que até ao momento, os cientistas têm tentado nos iludir, sobre formações naturais, que não podem ter sido geradas, da mesma forma que esta estrutura que estamos a ver no momento. Portanto, todos podem usar o bom senso e procurar pesquisar sobre o assunto, indo às universidades e aceder à net, a imagens e a satélites, para tentarem uma nova informação, que acredito, seja controladas e em muitos casos, limitadas ao nosso acesso. De qualquer forma nos cabe pensar, sobre a questão, pois seja o que for, está activo, devido as pesquisas sensoriais, vou solicitar a vários amigos canais, aqui de Portugal, que efectuem, uma sondagem psíquica, para inserir mais material posterior.



Fonte:satelites dos EUA

Outra visão da mesma base ou nave que deixou ou reside no local. Notem que estamos falando de algo bem próximo a costa de Portugal, próximo à saída do Rio TEJO.

Com Base nisso podemos efectuar nossas conjecturas, aproveito para inserir um texto que fiz nesta madrugada, quando acordei de uma visita ao local em projecção.



Em muitas das canalizações de muitos seres espirituais do mundo, temos tido informações sobre essas bases, ou sobre as intra-terrenas, mas sempre sem provas evidentes de sua existência. No entanto, agora podemos efectuar conjecturas sobre esse tema, com as imagens de satélites norte americanos, que efectuaram uma varredura no litoral de Portugal.

Lembrando que as pessoas ligadas a espiritualidade, em Portugal, tem em muitas oportunidades, indicado que em Sintra, existe algum aspecto espiritual, algo subtil, ligado a portais e ao Palácio da Pena, além das Ruínas Mouras ao lado. Além disso, temos percebido uma forte egrégore ligada a energias mais profundas. Numa conferência, Shtareer disse que no litoral próximo a Lisboa, existia uma base de antigas civilizações que tem relação com activações espirituais e intra-terrenas, que por sua vez, fazem a conexão com os portais de LIS-FATIMA, que é um dos maiores focos de luz e sustentação das Colunas Crísticas, como foi descrito por YASLON YAS, na conferencia de Portimão / Algarve, no dia 18 de Agosto, na qual ele fez uma descrição sobre os portais e o significado de Liz-Fátima, Lourdes, Algarve, Gibraltar, Madeira e de outros importantes centros de activação das colunas Crísticas, da antiga malha de memória estelar da TERRA-GAIA, que tem importante papel, dentro do processo de despertar da humanidade, sendo que no caso, em especial sobre a activação da Península Ibérica, que esta a representar um importante papel neste momento.

Esta geometria que aparece na foto dos satélites, representa na realidade, uma das antigas e modernas naves MÃE, que temos visto em nossos filmes de ficção, e que têm sido descritas, por muitas pessoas em suas canalizações e referências em hipnose, quando elas registraram abduções e outras formas de contacto com entidades designadas como extra-terrestres.

Podemos efectuar importantes conjecturas, uma vez, que segundo as informações prestadas pelos técnicos dos satélites, existe a afirmação, que essa falha ou geometria, não pode ser natural, ou seja, não foi criada pela natureza. Resta então aos pesquisadores efectuar algum tipo de pesquisa directa, pois a profundidades do
local, sugere algo em torno de centenas de metros, o que não foi esclarecido, mas por estar, nas margens de Lisboa, podemos falar em uma região não muito profunda, o que permite a utilização de recursos técnicos submergíveis, para se efectuar uma análise mais técnica. Assim estaríamos dando início a uma nova etapa sobre as informações. Ou poderia ser classificada depois, como uma antiga construção, que nos reportaria a antiga civilização da ATLÂNTIDA, ou então algo mais misterioso, caso seja considerado como uma cidade ou construção.

Pela telemetria que se observa, vemos dimensões bem grandes para uma cidade do passado, que teria levado muitos anos para ser construída, alem disso a simetria, nos lembra directo uma nave, ao estilo das naves piramidais de STAR WARS, onde podemos recordar antigos registros das guerras, ligadas a grande Rebelião da descendência de Lúcifer e de seus Filhos renegados Satã, Molock, Yawh, Odin, Cronos, Zeus, Ishitar, e muitos outros, que fazem parte da primeira descendência directa ou indirecta do Lanonadeck Criador Lúcifer, que apresenta interessantes aspectos dentro das canalizações pelo mundo.
Isso porque em muitos registos, como na “Sonda de Acturus” de Jose Arguelles, na “Agenda Pleiadiana” de Barbara Andclow, temos referências a ele como sendo um ser de muita luz de 6D, que teria gerado sem intenção, filhos que acabariam por criar uma dualidade desequilibrada, que tem relação com o que nós entendemos, como anjos caídos e a nossa situação, bem como a destruição de Maldek e de outros mundos antigos. O interessante é o aspecto, que em outras canalizações, SHTAREER, nos informa, que na estrutura universal, isso é parte de um holograma real, que foi gerado a partir de uma outra realidade entre 13D a 16D, vibrações de onde Lúcifer opera como dirigente do quadrante de Satânia, o que afirma muitas das canalizações dessas outras pessoas.

No entanto a relação com essa imagem, nos faz buscar sobre os registos da estrutura e da ficção de George Lucas, pois pelas dimensões apresentadas, temos uma forte lembrança com as naves imperiais do filme. Do ponto de vista energético, submeti as imagens a sensitivos, e a resposta foi um forte arrepio mediúnico, como uma força muito grande, que de inicio não foi possível detectar, se positiva ou negativa, mas que existe vida activa, foi a resposta.

Nesta noite 3,15 AM do dia 25/08/2005, fiz uma visita ao lugar e pude detectar vida inteligente, além de um alto grau de robótica operacional, dentro das dependências dessa estrutura. Os seres são de uma realidade de energia que pode ser enquadrada de 4D. Missão de sondagem e análises do comportamento humano e de experiências com implantes com as pessoas da Península Ibérica.

Não se trata de seres malvados ou não confederados, mas de pesquisadores do processo evolutivo dos seres humanos e da forma de activação dos médiuns e das energias dos Mestres dentro da nossa civilização. Não consegui de imediato uma leitura mais profunda, pois eles não querem uma divulgação de sua presença, devido a estarem actuando de forma paralela a muitas entidades da espiritualidade de Portugal, que começa a despertar as pessoas aqui em Portugal. Acredito e sinto, que com esta matéria, muitas pessoas ligadas a meu trabalho e de outras pessoas, poderemos ter uma identificação mais profunda do grau de energia real que esses visitantes de quadrante de ORIONIS estão realmente a efectuar.

Não notei actividade bélica, mas muita reserva a minha presença, devido as suas actividades e a forma como foram identificados recentemente, e como isso esta repercutindo dentro do Pentágono Norte Americano, pois trata-se de mais uma evidência, de que não estamos sós na TERRA, alem de ser mais uma outra base ou nave mãe, localizada nos oceanos nos últimos 15 anos, pelo nosso sistema de rastreamento via satélites. Pretendo efectuar mais visitas desta vez em outros corpos mais subtis, para poder informar melhor, no momento 4:26 AM, sinto que a egrégora de advertência deles devido as sondas norte americanas, e a actividades de submarinos militares está deixando-os mais atentos pois eles sabem, que a nossa postura frente ao desconhecido muitas vezes não é algo muito harmónico.

Bom, pela manhã, espero ter mais informações que ajudem a termos um esclarecimento mais profundo do real significado dessa base na costa Portuguesa e da relação dela com os focos de luz dos mestres ascensos, entre eles o de LIZ que representa um santuário de activação da energia de memória Crística da Terra-Gaia, da época em que ela era activa, sem a actual barreira de frequência de isolamento que foi inserida sobre a Terra, na época das antigas guerras, entre Deuses (Anjos Caídos), seres humanos (civilizações mais avançadas) e dos Arcanjos (Comandantes da Luz), que fazem parte das antigas referências de muitos povos. A nova informação sobre a memoria Crística, se reformula, agora para os registros da TERRA-GAIA como um ser vivo, que está passando pelo processo de activação, junto com a sua actual humanidade, e outras formas de vida, que estão de diferentes modos, sendo activados e despertos para uma nova etapa do processo de vida e relação com as outras dimensões superiores da vida e do universo.

Fiquem na paz. Rodrigo Romo, Ericeira, 4:33 AM. Portugal

*Nota: da janela do meu sotão(onde costumava ser o meu espaço/atelier, eu posso ver a zona desta formação.-Rosário Rocha

Voltar ao Topo


Colocado por: Dani em Nov 23, 2007 [ RESPONDER CITANDO ]

A cidade intraterrena na foz do Tejo



Fica esta canalização complementando as informações disponibilizadas.



Na Paz e No Amor



Grata

D.





A cidade intraterrena na foz do Tejo

Canalização de Alberto Saiz - Barreiro, Portugal, 4 de Fevereiro de 2007

“Eu sou Kryon do Serviço Magnético.

A vossa energia honra-me neste momento, porque é graças à vossa presença que eu posso manifestar-me para todo este povo e, mais longe, para este rio e para a cidade na outra margem1. Um pouco mais longe, e se vocês se conectarem, sentirão que há um amigos que querem projectar uma nova energia através de vós. No leito deste rio, que acaricia as margens do seu povo e da cidade, mais abaixo no seu curso, na sua foz, há uma comunidade intraterrena que pode comunicar a energia da unidade.

Ao enraizar profundamente na Terra o que vocês trazem das estrelas, a função dos intraterrenos aqui, e em outros lugares, é adaptar à corrente vibratória da Terra as frequências superiores que agora são trazidas desde o céu através de vós; é proporcionar a capacidade de viver na 5ª dimensão na superfície da Terra.

Alguns deles já vivem entre vós, já que a superfície de este planeta vai estando disponível para poder vibrar no amor, em cada momento, Assim, neste sala, há três seres habitantes dessa comunidade que, graças ao foco de energia gerada, podem manifestar sobre a superfície da Terra, a mensagem de harmonia e amor existente debaixo dela.

Este lugar (zona de Lisboa) que vocês habitam está destinado a desencadear a renovação do continente Europa. Tanto esta península (Ibérica) como as ilhas inglesas são o lugar onde se reciclam e transformam todos os impulsos que nascem no centro do continente. Por isso sempre têm de lidar, simultaneamente, com uma energia de grande ousadia e progresso, e outra de paralisação. Assim, recolhem o espectro mental gerado dentro da terra e, através da vossa proximidade com as águas e adaptação a elas, transformam-no em algo que se pode considerar como o novo coração da Europa. Se o que chega do centro do continente é algo extremamente mental, a vossa força está nas emoções. Dessa forma conseguem fundir estas duas tendências através da incondicionalidade e do amor com que o oceano vos brinda.

Procurem ajuda não só nas montanhas, mas também no facto de no oceano viverem irmãos que vos ajudarão a regular e a devolver uma altitude renovada.

Gerida por estes irmãos, começa agora a circular uma energia de cura, que funde os vossos chacras em um só, unindo assim a emoção e o raciocínio.

Vocês são amados, tão profundamente amados… As estrelas choram lágrimas de alegria, lágrimas de luz que iluminam os vossos corações. Esta é a forma de festejar a vossa presença; é a forma de festejar que Deus está aqui, que tem forma humana, aquela que cada um de vós lhe deu.Assim é eternamente… eternamente.”

Tradução de Vitorino de Sousa

1 - A cidade do Barreiro está na margem esquerda do rio Tejo, frente a Lisboa, a cerca de 20 km doOceano Atlântico.

26 novembro 2007

Receita de bolo de poesia (a experimentar oportunamente)

Toma-se uma porção de letras,
Misturam-se com sabedoria
Juntando acentos e pontuação,

Mexe-se com sentimento
E uma caneta na mão.

Uma pitada de magia .

Tendem-se as frases ainda quentes.
Levam-se ao forno da imaginação

Servem-se frias as palavras
Cortadas em mil pedaços
Acompanhadas de chá
Sem prazo de validade

Apenas a embalagem
Tem de ser de qualidade
Porque as palavras, essas
Nunca perdem o sentido

Apenas quem as prova
É que pode andar perdido

Nunca as frases se perdem
Vão e voltam sempre cheias
Trazendo nas suas letras
Fragmentos de mil ideias.

25 novembro 2007

22 novembro 2007

Difusão da Alma: Alinhamento Arcturiano

Difusão da Alma: Alinhamento Arcturiano

Gandhi - Colectânea de pensamentos








  • "A única revolução possível é dentro de nós.”



  • "Creio poder afirmar, sem arrogância e com a devida humildade, que a minha mensagem e os meus métodos são válidos, em sua essência, para todo o mundo.”


  • "A minha vida é um Todo indivisível, e todos os meus actos convergem uns nos outros; e todos eles nascem do insaciável amor que tenho para com toda a humanidade.”



  • "Não desejo morrer pela paralisia progressiva das minhas faculdades como um homem vencido. A bala de um assassino poderia por fim a minha vida. Acolhe-la-ia com alegria”



  • "A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos como uma toda a família humana. Quem faz distinção entre os fiéis da própria religião e os de outra, deseduca os membros da sua religião e abre caminho para o abandono, a irreligião.”



  • "O meu patriotismo não é exclusivo. Engloba tudo. Eu repudiaria o patriotismo que procurasse apoio na miséria ou na exploração de outras nações. O patriotismo que eu concebo não vale nada se não se conciliar sempre, sem exceções, com o maior bem e a paz de toda a humanidade.”



  • "Acredito na essencial unidade do homem, e portanto na unidade de todo o que vive. Desse modo, se um homem progredir espiritualmente, o mundo inteiro progride com ele, e se um homem cai, o mundo inteiro cai em igual medida.”



  • "A não-violência não existe se apenas amamos aqueles que nos amam. Só há não-violência quando amamos aqueles que nos odeiam. Sei como é difícil assumir essa grande lei do amor. Mas todas as coisas grandes e boas não são difíceis de realizar? O amor a quem nos odeia é o mais difícil de tudo. Mas, com a graça de Deus, até mesmo essa coisa tão difícil se torna fácil de realizar, se assim queremos.”



  • "Mas creio que a não-violência é infinitamente superior à violência, o perdão é mais nobre que a punição. O perdão enobrece um soldado. Mas a abstenção só é perdão quando há o poder para punir; não tem sentido quando pretende proceder de uma criatura desamparada. Um camundongo dificilmente perdoa um gato que o dilacera. Compreendo os sentimentos daqueles que clamam pela punição condigna do General Dyer e outros iguais. Haveriam de esquartejá-lo, se pudessem. Mas não creio que a Índia seja desamparada. Não me considero uma criatura desamparada. Apenas quero usar a força da Índia e a minha própria para um propósito melhor.”



  • "Só quando se vêem os próprios erros através de uma lente de aumento, e se faz exatamente o contrário com os erros dos outros, é que se pode chegar à justa avaliação de uns e de outros.”



  • "O mundo não é totalmente governado pela lógica: a própria vida envolve certa espécie de violência, e a nós nos nos compete escolher o caminho da violência menor.”



  • "Ao rejeitar a espada, não tenho senão a lâmina do amor para oferecer àquele que investiu contra mim. É ao oferecer-lhe esta lâmina que espero sua aproximação. Não posso conceber um estado de hostilidade permanente entre um homem e outro. Pois, crendo na reencarnação, vivo na esperança que, se não nesta vida humana mas numa outra, poderei cingir toda a humanidade num fraternal abraço.”



  • "O amor é a força mais abstrata, e também a mais potente, que há no mundo.”



  • "O Amor e a verdade estão tão unidos entre si que é praticamente impossível separá-los. São como duas faces da mesma medalha.”



  • "Só podemos vencer o adversário com o amor, nunca com o ódio.”



  • "Só se adquire perfeita saúde vivendo na obediência às leis da Natureza. A verdadeia felicidade é impossível sem verdadeira saúde, e a verdadeira saúde é impossível sem rigoroso controle da gula. Todos os demais sentidos estarão automaticamente sujeitos a controle quando a gula estiver sob controle. Aquele que domina os próprios sentidos conquistou o mundo inteiro e tornou-se parte harmoniosa da natureza.”



  • "A civilização, no sentido real da palavra, não consiste na multiplicação, mas na vontade de espontânea limitação das necessidades. Só essa espontânea limitação acarreta a felicidade e a verdadeira satisfação. E aumenta a capacidade de servir.”



  • "É injusto e imoral tentar fugir às conseqüências dos próprios actos. É justo que a pessoa que come em demasia se sinta mal ou jejue. É injusto que quem cede aos próprios apetites fuja às conseqüências tomando tônicos ou outros remédios. É ainda mais injusto que uma pessoa ceda às próprias paixões animalescas e fuja às conseqüências dos próprios actos.”



  • "A Natureza é inexorável, e vingar-se-á completamente de uma tal violação de suas leis.”



  • "Aprendi, graças a uma amarga experiência, a única suprema lição: controlar a ira. E do mesmo modo que o calor conservado se transforma em energia, assim a nossa ira controlada pode transformar-se em uma função capaz de mover o mundo. Não é que eu não me ire ou perca o controle. O que eu não dou é campo à ira. Cultivo a paciência e a mansidão e, de uma maneira geral, consigo. Mas quando a ira me assalta, limito-me a controlá-la. Como consigo? É um hábito que cada um deve adquirir e cultivar com uma prática assídua.”



  • "O silêncio já se tornou para mim uma necessidade física espiritual. Inicialmente escolhi-o para aliviar-me da depressão. A seguir precisei de tempo para escrever. Após havê-lo praticado por certo tempo descobri, todavia, seu valor espiritual. E de repente dei conta de que eram esses momentos em que melhor podia comunicar-me com Deus. Agora sinto-me como se tivesse sido feito para o silêncio.”



  • "Aqueles que têm um grande autocontrole, ou que estão totalmente absortos no trabalho, falam pouco. Palavra e ação juntas não andam bem. Repare na natureza: trabalha continuamente, mas em silêncio.”



  • "Aquele que não é capaz de governar a si mesmo, não será capaz de governar os outros.”



  • "Quem sabe concentrar-se numa coisa e insistir nela como único objetivo, obtém, ao cabo, a capacidade de fazer qualquer coisa.”



  • "A verdadeira educação consiste em pôr a descoberto ou fazer actualizar o melhor de uma pessoa. Que livro melhor que o livro da humanidade?”



  • "Não quero que minha casa seja cercada por muros de todos os lados e que as minhas janelas esteja tapadas. Quero que as culturas de todos os povos andem pela minha casa com o máximo de liberdade possível.”



  • "Nada mais longe do meu pensamento que a idéia de fechar-me e erguer barreiras. Mas afirmo, com todo respeito, que o apreço pelas demais culturas pode convenientementemente seguir, e nunca anteceder, o apreço e a assimilação da nossa. (...) Um aprendizado acadêmico, não baseado na prática, é como um cadáver embalsamado, talvez para ser visto, mas que não inspira nem nobilita nada. A minha religião proíbe-me de diminuir ou desprezar as outras culturas, e insiste, sob pena de suicídio civil, na necessidade de assimilar e viver a vida.”



  • "Ler e escrever, de per si, não são educação. Eu iniciaria a educação da criança, portanto, ensinando-lhe um trabalho manual útil, e colocando-a em grau de produzir desde o momento em que começa sua educação. Desse modo todas as escolas poderiam tornar-se auto-suficientes, com a condição de o Estado comprar os manufaturados.”



  • "Acredito que um tal sistema educativo permitira o mais alto desenvolvimento da mente e da alma. É preciso, porém, que o trabalho manual não seja ensinado apenas mecanicamente, como se faz hoje, mas cientificamente, isto é, a criança deveria saber o porquê e o como de cada operação.”



  • "Os olhos, os ouvidos e a língua vêm antes da mão. Ler vem antes de escrever e desenhar antes de traçar as letras do alfabeto”.
    "Se seguirmos este método, a compreensão das crianças terá oportunidade de se desenvolver melhor do que quando é freada iniciando a instrução pelo alfabeto.”



  • "Odeio o privilégio e o monopólio. Para mim, tudo o que não pode ser dividido com as multidões é "tabu".



  • "A desobediência civil é um direito intrínseco do cidadão. Não ouse renunciar, se não quer deixar de ser homem. A desobediência civil nunca é seguida pela anarquia. Só a desobediência criminal com a força. Reprimir a desobediência civil é tentar encarcerar a consciência."



  • "Quem busca a verdade, quem obedece a lei do amor, não pode estar preocupado com o amanhã."



  • "Minha missão não se esgota na fraternidade entre os indianos. A minha missão não está simplesmente na libertação da Índia, embora ela absorva, em prática, toda a minha vida e todo o meu tempo. Por meio da libertação da Índia espero atuar e desenvolver a missão da fraternidade dos homens".



  • "O meu patriotismo não é exclusivo. Engloba tudo. Eu repudiaria o patriotismo que procurasse apoio na miséria ou na exploração de outras nações. O patriotismo que eu concebo não vale nada se não se conciliar sempre, sem exceções, com o maior bem e a paz de toda a humanidade."



  • "Orar não é pedir. Orar é a respiração da alma."
    "A oração salvou-me a vida. Sem a oração teria ficado muito tempo sem fé. Ela salvou-me do desespero. Com o tempo a minha fé aumentou e a necessidade de orar tornou-se mais irresistível... A minha paz muitas vezes causa inveja. Ela vem-me da oração. Eu sou um homem de oração. Como o corpo se não for lavado fica sujo, assim a alma sem oração se torna impura."
    "O Jejum é a oração mais dolorosa e também a mais sincera e compensadora."



  • "Quem venceu o medo da morte venceu todos os outros medos."



  • "Uma civilização é julgada pelo tratamento que dispensa às minorias."



  • "A regra de ouro consiste em sermos amigos do mundo e em considerarmos como uma toda a família humana. Quem faz distinção entre os fiéis da própria religião e os de outra, deseduca os membros da sua religião e abre caminho para o abandono, a irreligião."

Créditos da imagem "Gandhi atribuidos a :© 2003 - 2007 Niles McMaster. All rights reserved.

07 novembro 2007

Há Palavras - Alexandre O'Neil

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.
Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.
De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.
(O nome de quem se ama Letra a letra revelado
No mármore distraído, No papel abandonado)
Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

23 outubro 2007

Divagações


Por entre salpicos de música, cornucópias que se enovelam-se no ar, o meu pensamento voa em notas de mil tons para junto do teu silêncio.

Apesar da distância que tende a espessar o poder da palavra, imagino que toco o teu rosto adormecido, seguindo um pequeno raio de luz que brinca com os reflexos da tua pele, ligeiramente sombreada pela barba que cresceu durante a noite.

Tenho em mim a promessa de risos e de um cordão de esperança construído no principio de tudo, uma relação plena de limpidez e confiança, barricando-me contra o sofrimento que conhecem fatalmente todos os amantes, esse estilete de fogo que dilacera quando menos se espera, deixando o corpo a flutuar em busca da mente e da razão.

Poder dizer que não tenho medo do depois, do provir, mas sinto no horizonte uma nuvem que tende a invadir os sonhos mais puros.

Na quietude da tarde que avança, sentada ouvindo a meditação de Thais, sinto-te, como se os teus dedos percorressem todo o meu corpo, acordando em mim a lãnguidez da tua essência, abandono-me contruindo cenários de cidades marmoreadas, debruçadas sobre a linha azul do mediterrâneo, como se o teu corpo e o meu tivessem algo de mítico a espreitar por entre frisos e colunatas onde as andorinhas esvoaçam chilreando a voz da nossa paixão.

Sentir-me-ia quase feliz, não fosse a voragem do tempo que tudo consome, deixando em mim apenas a memória da tua voz, ecos que marcam eternamente , que um dia exististe em mim.

18 outubro 2007

Só para mulheres....

Monólogo de uma mulher moderna:
São 5h30 da manhã, o despertador não pára de tocar e não tenho forças nem para atirá-lo contra a parede.
Estou acabada. Não quero ir trabalhar hoje. Quero ficar em casa, a cozinhar, a ouvir música, a cantar, etc.
Se tivesse um cão levava-o a passear nos arredores.
Tudo, menos sair da cama, meter a primeira e ter de por o cérebro a funcionar.
Gostava de saber quem foi a bruxa imbecil, a matriz das feministas que teve a ideia de reivindicar os direitos da mulher e porque o fez connosco que nascemos depois dela?
Estava tudo tão bem no tempo das nossas avós, elas passavam o dia todo a bordar, a trocar receitas com as suas amigas, ensinando-se mutuamente segredos de condimentos, truques, remédios caseiros, lendo bons livros das bibliotecas dos seus maridos, decorando a casa, podando árvores, plantando flores, recolhendo legumes das hortas e educando os filhos.
A vida era um grande curso de artesãos, medicinas alternativas e de cozinha.
Depois, ainda ficou melhor, tivemos os serviços, chegou o telefone, as telenovelas, a pílula, o centro comercial, o cartão de credito, a Internet!
Quantas horas de paz a sós e de realização pessoal nos trouxe a tecnologia! Até que veio uma tipa, que pelos vistos não gostava do corpinho que tinha, para contaminar as outras rebeldes inconsequentes com ideias raras sobre "vamos conquistar o nosso espaço"... Que espaço?!
Que caraças! Se já tínhamos a casa inteira, o bairro era nosso, o mundo a nossos pés!
Tínhamos o domínio completo dos nossos homens, eles dependiam de nós para comer, para se vestirem e para parecerem bem à frente dos amigos... E agora, onde é que eles estão?
Agora eles estão confundidos, não sabem que papel desempenham na sociedade, fogem de nós como o diabo da cruz. Essa piada, acabou por nos encher de deveres. E o pior de tudo é que acabou nos lançando no calabouço da solteirice crónica aguda!
Antigamente, os casamentos eram para sempre. Porquê? Digam me porquê... Um sexo que tinha tudo do melhor, que só necessitava de ser frágil e deixar-se guiar pela vida começou a competir com os machos... A quem ocorreu tal ideia?
Vejam o tamanhão dos bíceps deles e vejam o tamanho dos nossos! Estava muito claro que isso não ia terminar bem. Não aguento mais ser obrigada ao ritual diário de ser magra como uma escova de dentes, mas com as mamas e o rabo rijos, para o qual tenho que me matar no ginásio, ou de juntar dinheiro para fazer uma mamoplastia, uma lipo, ou implantes nas nádegas... Além de morrer de fome, pôr hidratantes anti-rugas, padecer do complexo do radiador velho a beber água a toda a hora e, acima de tudo, ter armas para não cair vencida pela velhice, maquilhar-me impecavelmente cada manhã desde a cara ao decote, ter o cabelo impecável e não me atrasar com as madeixas, que os cabelos brancos são pior que a lepra, escolher bem a roupa, os sapatos e os acessórios, não vá não estar apresentável para a reunião do trabalho. E não só mas também, ter que decidir que perfume combina com o meu humor, ter de sair a correr para ficar engarrafada no transito e ter que resolver metade das coisas pelo telemóvel, correr o risco de ser assaltada ou de morrer numa investida de um autocarro ou de uma mota, instalar-me todo o dia em frente ao PC, trabalhar como uma escrava, moderna claro está, com um telefone ao ouvido a resolver problemas uns atrás dos outros, que ainda por cima não são os meus problemas!!! Tudo, para sair com os olhos vermelhos - pelo monitor, porque para chorar de amor não há tempo! E olhem que tínhamos tudo resolvido... Estamos a pagar o preço por estar sempre em forma, sem estrias, depiladas, sorridentes, perfumadas, unhas perfeitas, operadas, sem falar do currículo impecável, cheio de diplomas, de doutoramentos e especialidades, torná-mo-nos super-mulheres, mas continuamos a ganhar menos que eles e, de todos os modos, são eles que nos dão ordens!!!! Que desastre! Não seria muito melhor continuar a cozer numa cadeira? Basta!!! Quero alguém que me abra a porta para que possa passar, que me puxe a cadeira quando me vou sentar, que mande flores, cartinhas com poesias, que me faça serenatas à janela! Se nós já sabíamos que tínhamos um cérebro e que o podíamos utilizar, para quê ter que demonstra-lo a eles?? Ai meu Deus, são 6h10 e tenho que me levantar da cama... Que fria está esta solitária e enorme cama! Ahhhh... Quero um maridinho que chegue do trabalho, que se sente ao sofá e me diga: "Meu amor não me trazes um whisky por favor?" ou "O que há para jantar?"... Porque descobri que é muito melhor servir-lhe um jantar caseiro do que abocanhar uma sanduíche e beber uma Coca-Cola light, enquanto termino o trabalho que trouxe para casa. Pensas que estou a ironizar ou a exagerar?
Não, minhas queridas amigas, colegas inteligentes, realizadas, liberais e idiotas! Estou a falar muito seriamente... Abdico do meu posto de mulher moderna.
E digo mais: A maior prova da superioridade feminina era o facto de os homens esfalfarem-se a trabalhar para sustentar a nossa vida boa! Agora somos iguais a eles!
Mais Nada!!!!!
lol

28 setembro 2007

Opus alchymicum

Hoje morri um pouco mais do que ontem
Amanhã já não serei eu
Apenas porque morri sem saber a exacta medida da minha morte
Apenas porque deixei de saber o que é a vida
Neste preciso momento em que deixo no passado
As memórias guardadas na poeira dos tempos
Onde fui simbiose dos outros comigoSem nunca me ter encontrado, apenas porque morri lentamente.
by Arroba

"Ser o próprio é uma arte onde existe toda a gente e em que raros assinaram a obra-prima", in Ensaio espiritual da Europa, Almada Negreiros, 1924.

27 setembro 2007


Não devendo alterar o artigo da Drª Halimatou Bourdanne, um leitor chamou-me á atenção para o uso da palavra "circuncisão", adjectivando a prática da Mutilação Genital Feminina (sigla MGF), termo que descreve esse acto com maior exactidão, é vulgarmente conhecida por Circuncisão Feminina. Confesso a minha indecisão perante a escolha da terminologia a adoptar.
No entanto esta prática não tem nada em comum com a Circuncisão Masculina.
Segundo essa tradição, pais bem intencionados providenciam a remoção do clítoris, e até mesmo dos lábios vaginais das suas filhas pré-adolescentes.
Há uma outra forma de mutilação genital chamada de infibulação, que consiste na costura dos lábios vaginais ou do clítoris.
Embora muitos códigos penais não mencionem directamente os termos Circuncisão Feminina ou Mutilação Genital Feminina, é perfeitamente enquadrado como uma forma de "abuso grave de criança e de lesão corporal qualificada". Vários organismos internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), tem envidado esforços para desencorajar a prática da mutilação genital feminina.
A Convenção sobre os Direitos da Criança, assinada em Setembro de 1990, considera-a um acto de tortura e abuso sexual.
Foto: www.fundacaocultural.ba.gov.br/04/revista%20d...418 x 808 - 24k ( todos os direitos reservados)

26 setembro 2007

geo - política



Uma pergunta de Geo-política:


Sabem como se chama a parte da barriga da mulher que fica à vista de todos, entre as calças e a camisola (abomino a palavra top)?
- Faixa de Gaja
Porquê?
Porque abaixo está a Terra Prometida e acima estão os Montes Golâ.


P.S.- recebido por e-mail.....tá o máximo....
Foto: www.facom.ufba.br/.../imagem/libertacao.jpg368 x 303 - 16k
(todos os direitos reservados)

Apaga as estrelas, vem dormir comigo no esplendor da noite do mundo que nos foge."



"Mas hoje, ainda longe daquele grito, sento-me na fímbria do mar.
Medito no meu regresso.
Possuo para sempre tudo o que perdi.
E uma abelha pousa no azul do lírio, e no cardo que sobreviveu à geada. Penso em ti.
Bebo, fumo, mantenho-me atento, absorto – aqui sentado, junto à janela fechada.
Ouço-te ciciar amo-te pela primeira vez, e na ténue luminosidade que se recolhe ao horizonte acaba o corpo.
Recolho o mel, guardo a alegria, e digo baixinho: Apaga as estrelas, vem dormir comigo no esplendor da noite do mundo que nos foge."
Al Berto in «Lunário»

Circuncisão!




APROXIMADAMENTE DOIS MILHÕES!!!

Este é o número de meninas que, todo ano, sofrem com a circuncisão!

"Como devemos reagir quando nos deparamos com esta prática?

A circuncisão feminina é um problema importante e muito mais profundo do que se imagina. Qualquer pessoa que tente atacar este problema é confrontada com vários obstáculos – o maior dos quais é o silêncio das mulheres afectadas.


A circuncisão representa um assunto polêmico, assim como qualquer outra coisa relacionada com a sexualidade. É muito raro uma mulher consultar um médico sobre um problema ligado à sua circuncisão. Foram as mulheres intelectuais islâmicas que começaram a levantar o véu sobre esta prática.
Outro problema que encontramos é que as mulheres não educadas nem sempre concordam que a circuncisão feminina deve ser proibida. De facto, elas querem frequentemente que as suas filhas sejam circuncidadas. Estão convencidas de que este acto é benéfico, apesar dos perigos que correm.
Um terceiro problema é a nossa ignorância sobre os grupos étnicos envolvidos. Qualquer acção eficaz deve ser realizada com grande sensibilidade. Isto significa um trabalho longo e difícil para se compreenderem as suas crenças.
Como cristãos, podemos tornar nossas irmãs conscientes dos efeitos e riscos de saúde ligados a esta prática. Sabemos que a sexualidade para o casal cristão é um presente de Deus para seu prazer. Com as nossas irmãs não crentes, podemos apenas levantar estas questões mais tarde, quando tivermos ganhado sua confiança.
Se o número de mulheres educadas aumentar, é certo que esta prática entrará em declínio. A luta contra a circuncisão feminina é certamente algo a longo prazo mas que vale a pena. É apenas então que certas mulheres conhecerão a felicidade que um casal experimenta em sua intimidade e de estarem livres dos riscos para a sua própria saúde e de seus bebês."

Extracto de texto escrito pela Dra Halimatou Bourdanne, médica na Costa do Marfim.

O seu endereço é 22 BP, Abidjan 22, Costa do Marfim, África Ocidental.

24 setembro 2007

O Pássaro de bico amarelo...


Abri a janela azul, aquela janela que dá para ver o mundo inteiro.
Tu sabes qual é...

Abri aquela janela ali mesmo ao fundo, na sala onde está o sofá velhinho, moldado pelo peso dos nossos corpos.

Abri a janela azul e entrou de rompante um estranho pássaro azul, de bico amarelo...

Entregou-me um livro de capa creme.

Falava de campos azuis, névoas matinais, maresias coloridas.

Falava de sóis de dióspiro caindo de mansinho na linha do horizonte.

Já não sei se o pássaro de bico amarelo se enganou ao entrar na minha janela azul.

Afinal também se enganam no voo os pássaros!

Porque, o pássaro de bico amarelo não trazia a indicação do remetente, nem aviso de recepção!

Seria um pássaro verde?...

Seria mesmo um pássaro de bico amarelo?

Mas não era madrugada.

E o sol de dióspiro estava lá... poisado no horizonte...

da minha janela azul.

13 setembro 2007

Comemora-se este ano o centenário do nascimento de um dos nossos maiores vultos da língua portuguesa. Nasceu a 12 de Agosto de 1907 em S. Martinho da Anta e faleceu em 1995.

Muito me espanta que esta data não fosse condignamente assinalada. Ontem assisti à abertura do novo ano lectivo , com toda a pompa e circunstância Sir Sócrates e seus ministros repartiram-se por várias escolas, espalhando assim a "paixão" pela educação , apanágio do seu programa de Governo.
E o Miguel senhores??? o Miguel foi esquecido??? que "raio" de Governo é este sem memória? Será que não merecia um ministro, apenas um só, que nos fizesse sentir que temos um património literário único a que todos devemos homenagem e que não deve cair no esquecimento.
Mas não.... um povo sem memória, um governo mais voltado para as "chinesiçes" e valha-nos Deus que o Sir Socrates até já se benze....

Escritor português, natural de São Martinho de Anta, Vila Real.
Oriúndo de uma família humilde, teve uma infância rural dura, que lhe deu a conhecer a realidade do campo, sem bucolismos, feita de árduo trabalho contínuo. Após uma breve passagem pelo seminário de Lamego, emigrou com 13 anos para o Brasil, onde durante cinco anos trabalhou na fazenda de um tio, em Minas Gerais, como capinador, apanhador de café, vaqueiro e caçador de cobras. De regresso a Portugal, em 1925, concluiu o ensino liceal e frequentou em Coimbra o curso de Medicina, que terminou em 1933. Exerceu a profissão de médico em São Martinho de Anta e em outras localidades do país, fixando-se definitivamente em Coimbra, como otorrinolaringologista, em 1941. Ligado inicialmente ao grupo da revista Presença, dele se desligou em 1930, fundando nesse mesmo ano, com Branquinho da Fonseca (outro dissidente), a Sinal, de que sairia apenas um número. Em 1936, lançou outra revista, Manifesto, também de duração breve. A sua saída da Presença reflecte uma característica fundamental da sua personalidade literária, uma individualidade veemente e intransigente, que o manteve afastado, por toda a vida, de escolas literárias e mesmo do contacto com os círculos culturais do meio português. A esta intensa consciência individual aliou-se, no entanto, uma profunda afirmação da sua pertença à natureza humana, com que se solidariza na oposição a todas as forças que oprimam a energia viva e a dignidade do homem, sejam elas as tiranias políticas ou o próprio Deus. Miguel Torga, tendo como homem a experiência dos sofrimentos da emigração e da vida rural, do contacto com as misérias e com a morte, tornou-se o poeta do mundo rural, das forças telúricas, ancestrais, que animam o instinto humano na sua luta dramática contra as leis que o aprisionam. Nessa revolta consiste a missão do poeta, que se afirma tanto na violência com que acusa a tirania divina e terrestre, como na ternura franciscana que estende, de forma vibrante, a todas as criaturas no seu sofrimento. Mas essa revolta, por outro lado, não corresponde a uma arreligiosidade ou recusa da transcendência. A sua obra, recheada de simbologia bíblica, encontra-se, antes, imersa num sentido divino que transfigura a natureza e dignifica o homem no seu desafio ou no seu desprezo face ao divino. A ligação à terra, à região natal, a Portugal, à própria Península Ibérica e às suas gentes, é outra constante dos textos do autor. Ela justifica o profundo conhecimento que Torga procurou ter de Portugal e de Espanha, unidos no conceito de uma Ibéria comum, pela rudeza e pobreza dos seus meios naturais, pelo movimento de expansão e opressões da história, e por certas características humanas definidoras da sua personalidade. A intervenção cívica de Miguel Torga, na oposição ao Estado Novo e na denúncia dos crimes da guerra civil espanhola e de Franco, valeu-lhe a apreensão de algumas das suas obras pela censura e, mesmo, a prisão pela polícia política portuguesa.
Contista exímio, romancista, ensaísta, dramaturgo, autor de mais de 50 obras publicadas desde os 21 anos, estreou-se em 1928 com o volume de poesia Ansiedade.
Também em poesia, publicou, entre outras obras, Rampa (1930), O Outro Livro de Job (1936), Lamentação (1943), Nihil Sibi (1948), Cântico do Homem (1950), Alguns Poemas Ibéricos (1952), Penas do Purgatório (1954) e Orfeu Rebelde (1958).
Na ficção em prosa, escreveu Pão Ázimo (1931), Criação do Mundo. Os Dois Primeiros Dias (1937, obra de fundo autobiográfico, continuada em O Terceiro Dia da Criação do Mundo, 1938, O Quarto Dia da Criação do Mundo, 1939, O Quinto Dia da Criação do Mundo, 1974, e O Sexto Dia da Criação do Mundo, 1981), Bichos (1940), Contos da Montanha (1941), O Senhor Ventura (1943, romance), Novos Contos da Montanha (1944), Vindima (1945) e Fogo Preso (1976).
É ainda autor de peças de teatro (Terra Firme e Mar, 1941; O Paraíso, 1949; e Sinfonia, poema dramático, 1947) de volumes de impressões de viagens (Portugal, 1950; Traço de União, 1955) e de um Diário em dezasseis volumes, publicado entre 1941 e 1994. Notável pela sua técnica narrativa no conto, pela expressividade da sua linguagem, frequentemente de cunho popular, mas de uma força clássica, fruto de um trabalho intenso da palavra, conseguiu conferir aos seus textos um ritmo vigoroso e original, a que associa uma imagística extremamente sugestiva e viva.
Várias vezes premiado, nacional e internacionalmente, foram-lhe atribuídos, entre outros, o prémio Diário de Notícias (1969), o Prémio Internacional de Poesia (1977), o prémio Montaigne (1981), o prémio Camões (1989), o Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores (1992) e o Prémio da Crítica, consagrando a sua obra (1993). Em 2000, é publicado Poesia Completa

01 setembro 2007



Águas do Mondego que passam
na menina dos teus olhos
são olhos rasos de água
e o rio vai passando
a saudade
o frémito
a dor


As ruas da tua cidade
conduzem-me junto à margem


águas do Mondego que passam
negras capas
que esvoaçam
bandeiras soltas ao vento
nas ruas da tua cidade


águas do Mondego que passam
na menina dos teus olhos
e eu cega sem te ver


negras capas que esvoçam
na menina dos meus olhos
e o rio vai passando
a saudade
o frémito
a dor

31 agosto 2007

With All I Am (By Hillsong)

elton john candle in the wind

A melancolia e a saudade são como caruncho, atacam a alma e deixam espaços de solidão, pequenos corpos cavernosos.


Dez anos passaram, olhando para trás, recordo o dia de hoje com muita saudade e muito carinho, mas ao mesmo tempo,com alguma amargura.


Risos alegres de crianças, chilrear de pássaros, sol quente de tardes de verão.

Hoje as crianças cresceram, os pássaros desapareceram na linha do horizonte levando nas asas a tua presença.

Resta-me a memória, através dela sinto que percorremos grande parte do caminho juntas, um dia virá o momento em que me virás buscar, e segurando-me pela mão, também eu aprenderei a voar...

30 agosto 2007

Wish you were here

TOURADA EM BARRANCOS: Morte de touro transmitida no telejornal da RTP 1

Se a lei em Portugal proibe touros de morte,porque é Barrancos uma excepção???
No sofrimento não há excepções e, eu estou furibunda porque liguei o famigerado aparelho de TV no Canal 1 para saber o que vai pelo país e pelo mundo e , eis senão quando, os meus olhos vem o momento da morte do animal!!!!! Mas é necessário mostrar concretamente esse momento?????
È isto o tal "jornalismo de informação"????
Poupem-me ! que raio de país este ? autêntica Républica das Bananas .... Barrancos é excepção, Olivença é o quê??? e viva o Alqueva.... mais os montados espanhóis.... (olha lá Maria .. tu não escrevas mais ).
Tudo isto por causa da morte do touro no telejornal da RTP1 - Protesto!!!! Vou deixar de ver a "um"

29 agosto 2007

For You.....

Aprender com Albino Forjaz de Sampaio - "Um Jornalista levado dos diabos!"

(continuação)

( extractos da segunda , de oito cartas)

“ ... no fundo da cada um dos nossos contemporâneos residem latentes os instintos dum carrasco !
“ Não tens tu encontrado, ò caricato, nas tuas horas de angústia, sómente semblantes frios, corações empedernidos e ouvidos cerrados ?
Quantas vezes perguntaste onde estavam a Bondade humana, a justiça humana ? Quem te respondeu ?
Inútil pergunta.
Ninguém.
Deus?
Onde estava Deus?
Deus não é dêste mundo !
É preferível ver um cano de esgôto em tôda a sua porcaria a uma alma em tôda a sua intimidade.
Há almas cuja treva é maior que a noite, consciências cuja lama é maior que a de todos os pântanos da terra.
Albino Forjaz de Sampaio
Da Academia das Sciências de Lisboa
in PALAVRAS CÍNICAS 1905
(continua)

Pedaços de mim...

28 agosto 2007

TonecasPintassilgo: HP (Hewlett-Packard) NUNCA MAIS...

TonecasPintassilgo: HP (Hewlett-Packard) NUNCA MAIS...

Tecnologias modernas...

Bil Gates anunciou em tempos o lançamento de um produto em parceria com a Hewlett Packard (HP) que vai permitir ao usuário a possibilidade de armazenar toda a sua informação em um dispositivo central e acessá-la de qualquer aparelho compatível com o Windows, incluindo o aparelho de MP3 Zune, o Xbox, PCs e telefones móveis..."Que fixe!!!!"

Á medida que a tecnologia avança, parece haver uma possibilidade cada vez maior de bloquear praticamente todas as saídas. Essa hipótese é reforçada pelo emprego da palavra grega dunétai – "possa" (Ap 13.17), que é usada para transmitir a idéia do que "pode" ou "não pode" ser feito. O Anticristo não permitirá que alguém compre ou venda se não tiver a marca, e o que possibilitará a implantação desta política será o facto da sociedade do futuro não usar mais o dinheiro vivo como meio de troca. O controle da economia, ao nível individual, através da marca, encaixa-se perfeitamente no que a Bíblia diz a respeito do controle do comércio global pelo Anticristo, delineado em Apocalipse 17 e 18......
Ao longo da história, muitos têm tentado marcar certos grupos de pessoas para o extermínio, mas sempre houve alguns que conseguiram achar um meio de escapar. Estamos numa sociedade de dinheiro electrónico com pesadas taxas de juro canalizando-nos cada vez mais para a utilização de Pc's e assessórios que nos condicionam a nossa qualidade de vida ( o pobre do Tonecas Pintassilgo nem jantou, perdeu horas de uma linda tarde de sexta-feira à procura de um simples cabo de ligação e foi levado a esquecer (momentâneamente) que a Vida é algo de maravilhoso e de que não vale a pena perdermos-nos no emaranhado de uma sociedade de consumo que nos escraviza se não tomarmos cuidado!
P.S.
Pequeno tentativa de conselho "inocente"
marcas brancas experimentou procurar?......que se "lixe" a HP!!!! (quem não tem cão caça com gato) .

26 agosto 2007

Simbolismo dos números

“ O mundo é construído sobre o poder dos números.” Esta afirmação foi atribuída ao matemático e místico Pitágoras, que viveu na antiga Grécia no século VI antes de Cristo. A partir dessa teoria os números universais foram reduzidos aos algarismos de 1 a 9, como os números primitivos que dão origem a todos os demais. Vinte séculos depois, em 1533 d.C., Cornelius Agripa revelava, na sua Filosofia Ocultista, o significado simbólico dos números:

1 – É o número da acção, da ambição e da agressão, palavras iniciadas com a letra «A», que também é a nº 1 do alfabeto. O nº 1 tem como objectivo a conquista do poder e da glória.

2 – É o número do contraste e das coisas que se opõem, como o preto e o branco. Ele simboliza o equilíbrio, o qual é conseguido por meio da divisão de forças positivas e negativas.

3 – É o número da versatilidade. O seu símbolo é o triângulo, onde um lado representa o passado, outro o presente e o futuro. O nº 3 reúne várias qualidades positivas, como o entusiasmo e a habilidade, sendo, por isso, o número mais moldável.

4 – É o número da persistência e da tolerância. É representado pelo quadrado, pelas estações do ano, pelos pontos cardeais e pelos antigos elementos, que também eram quatro: o fogo, a água, o ar e a terra.

5 – É o número da ousadia e da aventura, revelando todas as suas qualidades nas viagens e outras situações imprevisíveis. Não tem a mesma estabilidade e firmeza do nº 4, pois é o símbolo do inesperado, mas é o algarismo que atrai a boa sorte.

6 – É o número da lealdade e da confiança. É considerado perfeito, sendo divisível, ao mesmo tempo, pelo número 2, que é par, e pelo 3, que é ímpar. Desta forma, ele combina as qualidades desses dois números. Por essa e outras características é o número que está em harmonia com a natureza.

7 – É o número do mistério e de tudo o que é oculto e desconhecido. O 7 simboliza os sete planetas dominantes, os sete dias da semana e as sete notas da escala musical. O número 7 representa a fusão do número 1 – a unidade – com o número 6 – a perfeição. Dessa combinação resulta a entidade 7, o número místico por excelência.

8 – É o número do êxito material. Ele simboliza a firmeza elevada do sucesso total, ou, na linguagem dos números, o duplo quadrado. As partes do oito permanecem iguais quando ele é dividido: 4 e 4. Sendo novamente dividido, ainda continua com as suas partes iguais: 2, 2, 2, 2. E isto, no simbolismo dos números, representa um quádruplo equilíbrio.

9 – É o número da realização total, sendo o maior de todos os números primitivos. As características de todos os outros algarismos estão contidas no número 9, que poderá desenvolvê-las até ao seu grau máximo. Ele representa 3 vezes o número 3, o que lhe dá também mais uma qualidade: a de transformar a versatilidade do número 3 em inspiração.

08 agosto 2007

APRENDER COM ALBINO FORJAZ DE SAMPAIO ...... (não sei porquê não consigo apreender isto?!!!)

APRENDER COM ALBINO FORJAZ DE SAMPAIO
(LIVRO ESCRITO HÁ 100 ANOS !)

( extractos da primeira , de oito cartas)

Meu amigo:

De que te hei-de falar?
Da Vida?
Pois seja.

A vida é a escola do cinismo.

Trazes coração?
Esmaga-o ao entrar como uma coisa que nos compromete, que nos avilta.
Se acaso és bom – tolice – não venhas.

Aqui, para triunfar, é preciso ser mau, muito mau.

Sê mau, cínico, hipócrita e persistente que vencerás.
Serás aclamado, respeitado e invejado.

Ri de tudo, que é preciso que rias.

Abafa o protesto com um sorriso, uma agonia com uma gargalhada,um estertor com uma praga.

Sê polido, meu amigo.
Encobre a raiva sob o riso, e o riso sob o pesar.

Odeia os que sobem e os que pretendem subir, odeia os que subiram e os que um dia subirão.

Odeia todos e desconfia.

Vem, mas vem cínico.
Triunfarás, terás oiro, amantes, mulheres, o diabo.

Ou serás vencido ou vencedor.

Se vencido esperam-te tôdas as humilhações desde o desprêzo até à compaixão.
Se vencedor todos os triunfos desde o respeito ao Capitólio.

Luta sempre, calado, fino, sabido, que se não tens geito para isto serás um eunuco eterno, castrado para a Vida, para o Amor, e para o sonho.

Acredita que todos se vendem, homens e mulheres, palhaços e imperadores, cristos e mendigos: a questão é de preço e o preço sufoca tôdas as consciências, tôdas as revoltas.

Acredita que falta quem compre toda a gente que se quer vender.

A geração é de cobardes e “cada ano que passa está mais corrupto o mundo”.


Albino Forjaz de Sampaio
Da Academia das Sciências de Lisboa
PALAVRAS CÍNICAS
1905
Empresa Literária Fulminense
10ª edição (MXCXXIV)39º milhar

(CONTINUA)

03 agosto 2007

Para ti...


Quando termina a realidade e começa o sonho ou vice-versa





A inconsistência dos afectos.


Por vezes sinto-me mesmo muito confusa(...)à medida que me aproximo da sua imagem real e o conheco melhor, este conhecimento vai-se fazendo por subtracção, em que cada parte de imaginação e desejo é hipotéticamente substituída por uma noção que valerá infinitamente menos.

E o que eu pressinto é que ou mudará muito, ou irei ter sérias dificuldades em dominar o tédio que surgirá depois que me sentir sózinha no vácuo da minha ilusão.
No começo de um amor, como no seu fim, não estamos exclusivamente apegados ao objecto desse amor, mas é antes o desejo de amar, onde ele vai ter origem.

Sim, mas eu levo isso completamente à letra e sempre convém um bocadinho de apego à realidade.
Sinto uma nostalgia imensa, quase que adivinho o futuro, uma espécie de presságio em como nunca vou poder acordar um dia e sentir que vou olhar o seu rosto adormecido!

Como gostava de poder agora mergulhar o meu rosto na curva do seu pescoço e poder inebriar os meus sentidos com o cheiro do seu corpo adormecido.
Como eu o desejava só para mim..

mas....é apenas um desejo egoista meu, nem por isso menos legítimo...mas ninguém é de ninguém e eu gosto de si livre , porque quando é livre fica mais autêntico

O primeiro impulso seria ligar-lhe...mas sinto que não devo nem posso...queria tanto que me abraçasse agora, apenas um abraço forte que nos separasse do resto do mundo, em que o tempo ficasse suspenso sem a areia a correr na ampulheta.Mas a areia vai caindo grão a grão , como contas de um rosário minúsculo.
Os dias vão seguindo o seu curso, deixando-me presa em mil ilusões sobre si, cada vez mais me vou emaranhando nesta teia, cada vez mais o construo dentro de mim, adensando o desejo e aumentando a expectativa.Mal posso crer que um dia a realidade, tal como o comum dos mortais a apreende, vai tomar conta do meu sonho e desfazê-lo em mil fios de luz brilhante dispersos algures no espaço e no tempo.

Mas..antes queria que me amasse queria que nos perdessemos num único e efémero momento , mesmo que irrepetível, porque vou intuindo que o seu e o meu caminho passam por trilhos diferentes.Nunca vou poder olhá-lo à sombra dos jacarandás em flor, com um céu rosado como horizonte, e como duas crianças nuas no meio do capim rolarmos juntos entre gargalhadas e olhares cúmplices!

Sou uma sonhadora incuravel, mas estas frases são um pouco o fruto da ilusão e do sonho que acordou dentro de mim, sentidas e com muita ternura, veja-as como o fruto de algo bom entre nós os dois, mesmo que sejam simples e um pouco inocentes representam o melhor que há em mim e que quero partilhar consigo.

Beijo.... e um sorriso cheio de magia de uma borboleta de asas douradas como no Rei Lear


Vertente Lunar


Brancura brancura

véu de água

na fronte do sonho

frescura na febre

a correr a espraiar-se

a encher velhas rugas

da vertente lunar!

No azul incorpóreo

um corpo indeciso

suspenso...

E os veios de alvura

unidos num rio

com margens de sombra

aos poucos morrendo

morrendo

no espelho do mar!

30 julho 2007

http://www.esnips.com/doc/caecca2a-248e-4baa-8b14-e17cba8d3a55/Oliver-Shanti.-Follow-the-spring-of-Wu-Tai-Shan.

http://www.esnips.com/doc/b849ac60-526b-4bc6-bc2a-75efa3dd8a9d/Faith-No-More----I-Started-A-Joke



Às vezes penso que a prova mais evidente de que existe vida inteligente no Universo é que nada nem ninguém tentou contactar-nos...

Cartagena e o Alquimista


Há um corpo que pede ternura, uma sílaba que foge de uma boca pura, uma alma aberta à constante incerteza, um beijo, solto na tua procura. Vacilantes são os passos rumo ao fim do longo dia, cai a noite, corre a noite, sombras em tua companhia. Percorro o caminho do pensamento, procuro as amarras do querer, preso à contradição da paixão, fujo para nunca mais ver. Olhos de água, dor presente, olhos que pedem, alma implora, olhos de sentido pranto, soluço preso, coração chora. Os teus olhos estão repletos de palavras, são imenso oceano de profundo sentir, guardam a mágoa, a esperança que te impedem o partir, olhos que vêm para além do infinito, olhos que acolhem a mentira perdida, cerram-se à força do frio fogo, lanças trespassam uma alma ferida. São as janelas da tua alma, não enganam a desventura, abre-se a boca de espanto, quando vêm a falsa ternura…Vêm a cor azul por cima da tua cabeça, o verde de um mar água seduz, contemplam a fugidia forma das nuvens, fogem a um sol fogo de alva luz. Um olhar prende o divino sonho, ganha asas num sorriso puro, esconde a dor em teu semblante, gira a roda do futuro.Tal como um ribeiro manso, que corre pachorrento para sul, assim viaja o teu profundo sentir, aprisionado em…pranto azul…

(By: O Alquimista)

11 julho 2007

http://hipnozz.blogspot.com/

Adorei este blog...

Oração, esse silencioso segredo...

Oração, esse silencioso segredo...
" Tu, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada porta, reza em segredo …?
Anselmo Borgespadre e professor de Filosofia
Não há palavras, diante de pais em choro pela perda de um filho: "Tanto pedimos a Deus que nos salvasse o nosso filho, e ele não nos ouviu!..."
Uma vez, uma senhora ainda jovem, muito doce, a quem a mãe morrera seca com o sofrimento, atirou-me: "Sabe? Às vezes penso que Deus não pode ajudar a todos. São tantos a pedir... Coitadinho!..."
É verdade: Deus não pode ouvir as orações todas nem satisfazer todos os pedidos.
O teólogo Andrés Torres Queiruga disse-o de modo chocante, quase brutal, mas, para o crente reflexivo, verdadeiro. Tomemos como exemplo esta oração: "Para que as crianças de África não morram de fome, oremos ao Senhor." "Objectivamente, uma petição deste tipo implica o seguinte: 1. que nós somos bons e tentamos convencer Deus a sê-lo também; 2. que Deus está passivo enquanto o não convencermos, se formos capazes; 3. que, se, no domingo seguinte, as crianças africanas continuarem a morrer de fome, a consequência lógica é que Deus não nos ouviu nem teve piedade; 4. que Deus, se quisesse, podia solucionar o problema da fome, mas, por um motivo qualquer, não quer fazê-lo." Conclui: "Sem pretendê-lo conscientemente, mas presente na objectividade do que dizemos, estamos a projectar uma imagem monstruosa de Deus: não só ferimos a ternura infinita do seu amor sempre disposto a salvar como, além disso, acabamos por dizer implicitamente algo que não nos atreveríamos a dizer do mais canalha dos humanos."
Quando se reflecte, percebe-se claramente que a chamada oração de petição exige ser repensada. Deus, porque é Força criadora infinita, não intervém de fora, e quem acredita que Deus é Amor não pode estar a implorar-lhe que tenha piedade. Fazê-lo é contradizer-se.
Compreende-se - isso sim - que o crente, na sua dor e frente ao horror do mundo, ore, fazendo perguntas e gritando com Deus. Job, sentindo-se inocente, queria levar Deus a um tribunal que julgasse com independência. Está na Bíblia! Jesus rezou na cruz: "Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?" E, como sabia o teólogo protestante Dietrich Bonhoeffer, executado pelo nazismo, o crente terá cada vez mais de aprender a "viver diante de Deus e com Deus sem Deus".
Não há Homem religioso que não reze. Mas, como diz o Evangelho, é preciso pedir o que a maior parte das vezes se não quer pedir: o Espírito Santo e a conversão. Na verdade, não se trata de converter Deus à vontade humana e aos seus caprichos, ao seu orgulho e vaidade, à sua avareza e ganância, mas de o Homem se converter ao que Deus quer: simplicidade, capacidade de partilha, humildade, paciência e todas aquelas virtudes que já não estão muito em uso, mas tornam o Homem humano e trazem paz.
Quem não deseja ardentemente estar com o Amor? Rezar é marcar encontro com Deus, Anti-mal e Fundamento de todo o ser - Deus é Presença intimíssima e infinitamente activa em todo o real. Nesse encontro, o Homem faz então a experiência da religação à Fonte criadora e dinamizadora de tudo, reconcilia-se com a finitude e, depois de ter descido ao mais profundo, volta ao quotidiano da vida com esperança e serenidade, aquela serenidade de que fala Santa Teresa de Ávila: "Nada te perturbe. Nada te espante. Tudo passa. Deus não muda. A paciência tudo alcança. Quem tem Deus nada lhe falta. Só Deus basta."
No entanto, a serenidade não significa passividade nem resignação. Pelo contrário, quem foi ao encontro do Deus que, como diz o Evangelho, mora no oculto, "identifica-se" com ele e com o seu amor e entrega-se ao cuidado da sua obra, a começar por quem mais precisa: o pobre, o escarnecido, o humilhado, o doente, o chicoteado, o velho, o deficiente, qualquer um que sofre. Afinal, é mesmo possível, por exemplo, nós acabarmos com a fome em África!
O Evangelho diz que Deus sabe do que os seres humanos precisam, antes de lho pedirem. Por isso, previne contra o longo palavreado vão de quem reza. Manda é o silêncio e a paz interior, para que ele possa entrar: "Tu, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, reza em segredo a teu Pai."

15 janeiro 2007

Um Castelo de Sonhos

Quando era criança construía castelos de areia
A Cada Torre erguida sonhava com um futuro perfeito
Ainda procuro por estes sonhos, os quais meu coração anseia
Mas o mundo é complicado, as pazinhas não moldam do mesmo jeito
Dos homens, que não se importam se algum dia, o mundo pode ser perfeito
Corações vazios, sentimentos depositados na mente,
Mentes abarrotadas, então, disto, sem espaço algum para a verdade
É preciso ser céptico, as coisas se complicaram demais pra se entender,
Instinto animal, devorar a quem está ao lado, ódio é tudo o que sobrou.
Não eram estes os sonhos que depositei nas torres,
A felicidade às vezes se porta como colhidas flores,
Enfeitam a princípio, mas quando o tempo passa, é inevitável, murcham,
Sem a seiva que nutre as pétalas, assim murcham aqueles que não amam
Hoje sei qual foi o meu grande erro na infância,
Descobri, afinal, o que me provoca tamanha ânsia,
Sonhos não devem ser depositados em torres de castelos
Mas vividos, de forma forte para que nada possa romper seus elos.

Alma Quântica

Matéria e espírito reagindo entre si, energias construindo a realidade.
O principio da vida e fruto de uma confluência de probabilidades quânticas unidas pela vontade da consciência, e essa e a alma quântica.
O filosofo Alberto Cabral falou conosco sobre as conexões ocultas entre a física e a alma.Estudioso vem erguendo novos alicerces, tanto na física quântica quanto nos campos mais avançados das ciências espiritualistas, para reunir numa visão holística os conceitos de ambas, oferecendo uma explicação para os vários níveis de existência em nosso universo.Para tanto, e importante retomar os conceitos da física - unidos à filosofia para dai tirar um corpo coeso de propostas e idéias que contornem os obstáculos e estabeleçam um novo conjunto de conceitos psicofisico-espirituais, permitindo ao ser humano atingir novos níveis de consciência.Alberto Cabral, graduado em Filosofia e criador do Centro de Estudos Filosóficos Laboratório Evolutivo (CEFLE), esta desenvolvendo suas pesquisas e buscas justamente neste sentido. Com profunda formação nas ciências exatas, ele também buscou nos estudos filosóficos as respostas para suas inquietações, descobrindo que na união do conhecimento cientifico e da espiritualidade surge um campo vasto e inovador.Antigamente, quando se falava sobre qualquer parte do conhecimento humano, de alguma maneira ele estava ligado à filosofia. A separação real do conhecimento científico, do espiritual e do filosófico de seu quando o que nós chamamos hoje de idade Moderna tomou o lugar da Idade Média. Teve início uma visão antropocêntrica na qual o homem, e não mais Deus, ocupava o centro do universo. Mudou a visão, a maneira de enxergar o mundo, e o conhecimento não podia estar submetido às crenças; ele precisava ganhar liberdade e fugir das paredes dogmáticas da religião. Na Idade Média, todas as ações eram fruto da vontade divina; do movimento da roda ao surgimento das doenças, tudo estava conectado aos destinos ocultos de Deus. Ao romper com essa linha de pensamento, os cientistas e pensadores conduziram a razão à posição de mediadora do saber.Essa posição de destaque para a lógica e para a razão permitiu que a ciência avançasse rapidamente sobre os terrenos antes ocupados pela fé. Todavia, com o tempo, a própria ciência estabeleceu dogmas, e tudo quanto é ligado à fé adquiriu um caráter negativo, sofrendo no processo uma perseguição tão feroz quanto à Inquisição católica.Mas nos últimos cinqüenta anos, aconteceu um fato curioso. Vários pesquisadores, de diversos campos da ciência, iniciaram pesquisas importantes buscando soluções interdisciplinares, que abarcam tanto as explicações ligadas à própria ciência (medicina, física, sociologia, biologia, entre outras) como as ligadas à fé e à figura de Deus. Também nesse espaço de tempo a busca pelos conhecimentos das sabedorias antigas se tornou importante, com uma revalorização das sabedorias hindu e chinesa, entre outras.O que está havendo, ultimamente, é um grande afluxo de pessoas da área científica buscando embasamento na área espiritual. “Há quem diga”, exemplifica Alberto Cabral, “que o mundo só é visível porque, na verdade, há um preceito matemático na criação que realiza o mundo. Isso é uma maneira de enxergar. Mas se existe um preceito matemático, de onde ele vem! O preceito matemático está além da matéria; então, ele seria um preceito espiritual, espiritual-matemático. Se você tentar separar não tem como. Fica um vazio no meio, uma vala. Não há como você separar o espiritual do físico no dia-a-dia. Mas, na mente, a gente separa por preconceito, por educação. É um conceito que foi embutido pelo meio ambiente, pela cultura de que as coisas estão separadas. Integralmente, você é um ser com um corpo físico e com preceito espiritual, com princípio espiritual”.A FÍSICA SE USE À ESPIRITUALIDADENo campo da consciência, mas é uma conexão que existe além da matéria, além até do que muitos chamam de matéria espiritual (ou matéria sutil); é um princípio, é a substância mais íntima do universo, como se fosse um “DNA” do universo. Essa consciência teria uma única função no universo, que seria existir, simplesmente existir; ela seria fruto de “algo” que muitos classificam como Deus. Na verdade, tal “consciência” estaria mais próxima do conceito chinês do Tão, ou da iluminação no Zen, pois não existiriam palavras para descreve-la pura e objetivamente. Ela seria o motor por trás de todas as coisas que existem em nosso universo.A consciência não é a mesma coisa que o pensamento, como poderíamos supor; ela é o que está por trás do pensamento, por trás da energia ou da matéria. Contudo, essa consciência interage com o universo de várias formas, pois ela é tão imaterial que precisa de um meio para existir e exercer sua ação; nesse instante, temos a ação do pensamento, do espírito e da matéria.Essa consciência participa da fabricação do que nós chamamos de espaço e tempo (segundo as bases teóricas da Mecânica da Relatividade de Einstein, todo o universo é formado por uma teia de relações físicas relativas entre si, conhecida como espaço-tempo) e, a partir desse estado de energia e dos potenciais em todas as esferas e existência (mente-corpo-espírito), cria a realidade material sensível aos nossos sentidos.Essa criação da realidade material passa por uma série de etapas, nas quais cada parcela dessa “vontade” adquire características, absorve energias e molda o espaço à sua volta para fazer parte dos diversos níveis de percepção. O mundo espiritual é um meio que guarda uma certa capacidade de “ser”, isso é, no mundo espiritual, existem as diversas possibilidades de todas as coisas que estão para surgir em nosso mundo material, desde o reino das fadas até as maiores realizações da ciência. Contudo, essas potencialidades, embora possuam uma certa “densidade”, não são “matéria”. Para surgirem como tal precisam de mais do que isso; precisam de algo que as traga para o plano físico. CABRAL DIZQue o mundo espiritual seria uma das etapas de “densificação da consciência” - como explicado acima. Na verdade, podemos explicar esse conceito segundo as bases da física quântica, pois existiria um aumento das probabilidades, o que resultaria na densificação da “idéia” em matéria (na física quântica, tudo é medido segundo probabilidades de “algo” acontecer, ou seja, quanto maior a porcentagem nas equações, maiores são as chances daquilo se manifestar no mundo físico).Exemplificando, o mundo espiritual seria um mundo que tem um certo grau de probabilidade de existir; um grau menor de probabilidade em relação ao nosso, mas ainda assim é um grau de probabilidade, que produz resultados num meio de menor densidade (nas esferas sutis, muito relatam que, ao pensarem em algo, o meio ambiente se modula e constrói algo semelhante ao que foi imaginado), ou seja, uma matéria menos densa, algo que chamamos “mais sutil”.Sabemos que existem probabilidades das coisas acontecerem; a “consciência” consegue atuar sobre tais probabilidades independentemente de existir matéria ou não. A “consciência” gera novas probabilidades para interagir com o mundo físico.Ela vai atingindo gradualmente o plano físico, gerando um campo crescente de probabilidades, aumentando progressivamente sua influência. Nesse ponto, ela atinge o plano mental, depois o espiritual e, por fim, o plano físico.Nesse instante, entramos no polêmico Paradoxo de Young (elaborado pro Thomas Young [1773-1829]. Segundo esse paradoxo, quando uma experiência é registrada, na verdade ela é influenciada pelas expectativas dos pesquisadores; portanto, os resultados finais refletiriam o que os observadores “desejariam”). A questão do observador é central nas pesquisas quânticas, pois quando se analisa uma partícula, o comportamento dela é determinado pela maneira pela qual é observada. O observador tem o poder de modificar o estado físico da experiência. O grande problema da física quântica é responder de onde vem o poder do observador.O interessante disso, segundo Alberto Cabral é que o observador determina o resultado no momento em que olha; enquanto o observador não olha, não se pode dizer o que está acontecendo; é o observador que está determinando a realidade. É a “consciência” determinando a realidade. Para a física, isso é algo inexplicável. Nessa proposta da “física espiritual” desenvolvida por Cabral, é a consciência que determina as probabilidades. Quando a “consciência” olha, ela determina as probabilidades e estabelece um padrão no universo para aquele evento singular. Aquilo que é observado passa a existir, de uma determinada forma, até deixar de ser observado. Nesse ponto, cruzamos com a teoria do universo que é proposta no livro o Universo Autoconsciente, do físico indiado Amit Goswami. Nessa obra, temos relatos de experiências que os físicos fizeram em laboratórios renomados e com grande acuro científico dizendo que, quando as coisas não são observadas. A matéria se torna difusa se “algo” não é pensado ou observado longamente.AS MATERIALIZAÇÕESSão explicadas da forma simples a partir dessas observações. Existe tanto a materialização feita pela consciência lúcida (evoluída e espiritualmente plena), quanto a materialização feita por volume de insistência (quando muitas pessoas desejam a mesma coisa). Alberto Cabral diz que a materialização através da física espiritual acontece da seguinte forma: se muitas pessoas pensam em algo ela aceleram o processo de densificação para que aquilo aconteceça ou exista.Contudo, existem materializações que fazem uso de ectoplasma, que é um material intermediário. O ectoplasma é formado a partir de tecidos cedidos por um corpo que, vibrando num determinado estado eletromagnético, pode ser reorganizado fora do corpo como matéria. É dessa forma que surgem as materializações a partir do ectoplasma.A partir da física espiritual, ainda podemos ter explicações para grandes fenômenos, como é o caso relatado numa das edições sobre a vida do sábio Yogananda, na qual ele conta experiências de materializações do guru indiano conhecido como Babaji (uma figura lendária e tida como um dos grandes mestres espirituais da Terra. Sexto Sentido 7).Nesse relato, Babaji faz aparecer um castelo, que teria por objetivo servir como alicerce para uma experiência espiritual de um discípulo. Essa materialização não foi feita com o ectoplasma, mas a partir da própria estrutura do universo. A consciência de Babaji emitiu aquele pensamento ou sentimento; então, as probabilidades colapsaram e atingiram um nível crítico, produzindo a transformação da realidade material e o “aparecimento” do castelo; e se fez matéria. Quando a experiência acabou, ele eliminou o pensamento de sua mente, pois havia cumprido sua função, e a matéria se desfez.Para a física quântica, o universo é formado por esses “potenciais de ser”. Generalizando, podemos afirmar que somos uma “espuma quântica”, unidades básicas de potencial formando toda uma “espuma” de probabilidades, e essa espuma tem a capacidade de “realizar” matéria, de fazer com que a matéria exista.Essa é uma explicação viável. O que chamamos de paz interior e amor (como emoções e estado de espírito) é o que na física vemos como ordenação e interação compreensiva; a capacidade de fazer com que as coisas aconteçam.Existe uma expressão conhecida na ciência como “potencial do vácuo”. O vácuo absoluto tem potencial de ser qualquer coisa. Alberto Cabral explica que “se você observa passivamente uma região do espaço de vácuo absoluto, você tem um potencial de produzir qualquer coisa momentaneamente, pois o vácuo sobre picos de interferência dos observadores e ele quase vira matéria, mas por falta de ordenação interna, não vira”.Isso significa que se alguém estiver olhando para aquela região e emitir um sentimento de que ali deve haver algo, esse algo aparece em algum dos planos de existência. Se a pessoa tiver ordenação interna e essa ordenação não sofrer flutuações de intensidade, o desejo da pessoa se torna real, material, tangível. Portanto, o que chamamos de materialização não está restrito aos eventos paranormais; na verdade, faz parte dos conceitos mais profundos da física e da espiritualidade, ao alcance de todos.PARTINDO destes conceitos podemos imaginar que todas as formas de vida influenciam a realizada e produzem elementos que tornam sua densidade(como seres materiais) maior ou menor. Isso se reflete no modo de Alberto Cabral encarar o fenômeno conhecido como Nova Era. Segundo seus estudos, ele vê a Terra como um ser vivo, muito mais velho que seus habitantes.Como ser vivo, a terra possui uma consciência que atingiu tal grau de maturidade que sua índole fez com que ela tivesse um desejo de compartilhar vida de uma maneira diferente. É um “ser” que virou um planeta. Ela atingiu tanta maturidade que se densificou, gerando uma curva gravitacional em torno do seu potencial e, assim, agregando a matéria e a energia que a transformariam em planeta.Também aproximou as consciências que estavam por aqui e que formaram os outros planetas. Gerando esse colapso de matéria, criando curvas de espaço-tempo em torno da própria “consciência”, quis compartilhar vida. Contudo, para entendermos a Nova Era, devemos compreender que existem coindições externas ao sistema solar que fazem com que a própria estrutura de espaço-tempo varie em torno de nós. Simplificando os conceitos matemáticos e físicos da questão; existe uma grade gravitacional (tanto materialmente como espiritualmente), que atua a grandes distâncias sobre nós, fazendo com que o espaço-tempo ao nosso redor mude de densidade em certos pontos. O sistema solar, segundo as experiências obtidas por Alberto Cabral, está se dirigindo a uma região com um pouco menos de densidade.O que isso significa! Que os seres conscientes da Terra irão precisar de uma quantidade menor de probabilidades para formar matéria física. A cada dia que passa, a matéria vai ficar um pouco mais sutil, porém o plano espiritual não está ficando mais sutil; na verdade, nós estaríamos nos aproximando mais da densidade que existe no plano espiritual. Nós estaríamos ficando mais sensíveis, e é isso a Nova Era. Não será uma época na qual nos será dado tudo o que queremos, sem darmos nada em troca. O planeta está caminhando para um nível maior de sensibilidade; então, para reencarnar na Terra, a pessoa já precisa ter uma certa maturidade para lidar com essa sensibilidade, com essa nova forma de matéria sutil.VÁRIOS ASTRÓLOGOSE profetas preconizaram tais mudanças. A ida para uma Nova Era é fruto do percurso físico e espiritual do planeta. O que ocorre é que devemos analisar qual a condição espiritual de cada um e como lidar com esse processo.Alberto Cabral diz claramente que a física apresenta limites ao espírito. Se a pessoa está desequilibrada emocionalmente, ela te uma sintonia ruim entre os seus sentimentos e a realidade. Então, ela gera pensamentos e emoções de uma densidade maior (como raiva, tristeza, ódio, entre outros); nesse caso será atraída para um planeta de densidade maior.Exemplificando, é como se estivéssemos num planeta óleo, e ele vai virar planeta água (água e óleo não se misturam), e que não for da densidade correta vai ficar preso no óleo. Se você não sutilizar sua maneira de pensar, o seu amor e o seu carinho ficarão presos. Isso está muito além de um deus, de um Bem e um Mal, pois tais julgamentos são transitórios e incompletos; mudam conforme as eras e conforme os homens, não sendo absolutos. A natureza não impõe julgamentos de valor, não manipula; simplesmente existe. E as condições da natureza dependem da maturidade de cada um, como reage à vida e como atua segundo sua consciência.Esse pensamento permite explicar certos aspectos das questões cármicas, por exemplo. Se você se submete a um conjunto de regras negativas que levam a um certo comportamento por hábito, está num caminho intermediário, porque tem a liberdade de agir fora do seu hábito e quebrar o ciclo, mudando a densidade das suas ações, dos seus pensamentos.Contudo, aqueles que seguem determinados comportamentos por medo, como aquele que não mata por ter medo de Deus, na verdade possui todo o potencial letal dentro de si, e o desejo de matar não está resolvido. Nesse caso, é necessário avançar nos estudos espirituais e de compreensão pessoa no respeito à vida e às relações das consciências no universo.Sendo assim, podemos dizer que tanto as consciências como a própria matéria, em seus mais diversos níveis de densificação, é que construirão uma Nova Era, sem julgamentos divinos; apenas o exercício das mais profundas relações naturais, das chamadas leis universais, geradas no princípio de tudo, pela “consciência” primeira: O Verbo.
Notas: Extraído da revistas Sexto Sentido 44; páginas 26-32