23 março 2012



Espaço imenso, céu
Horizontes onde me evado
Rota de fuga, caminhos
Estrelas presas no alto
E o luzeiro a chamar-me
A abrasar-me
A consumir-me o alento
E eu olhando sem ver
Cega, estendendo as mãos
E só encontrando o vento.
Deus, estende o teu branco  manto
A fímbria do teu bordão
Deus dá-me um sinal
Que ainda existe o Perdão!
Espaço imenso, céu
Horizontes onde me evado
Rota de fuga, caminhos
Orienta-me Deus meu
Mostra-me os Teus desígnios.

3 comentários:

Rogério Pereira disse...

Consegue falar com Deus?
Ele ouve-a?

Arroba das Palavras disse...

"Se cada um de nós somos três porque me falas como se houvesse apenas a Minha Alma?"
Não fui eu que escrevi isto... mas creio ter respondido.
Ou.... a Fé é a certeza das coisas que se esperam sem as conhecermos.
Lá estaremos dia 31 no lançamento da nossa Antologia Acordando Sonhos.
Abraço poético

OceanoAzul.Sonhos disse...

Nessa grande força... aquela que nos acalenta, aquela que sempre procuramos. Escrevendo na tentativa do seu encontro.

beijinho
cvb