16 fevereiro 2013

Vulcão


A gente às vezes cansa-se e pára
deveria ser para pensar,
Mas não pensamos muito mais
nem tão pouco conseguimos parar
e porque toda a acção anula o pensamento
Mas, devo dizer que não consegui
nem pensar, nem parar
e as minhas mãos foram tão poucas
insuficientes neste vulcão que teima em expelir
maldita lava que me queima
maldita cratera por onde sai o pensamento
que não me deixa parar
e , olho estas minhas mãos a pensar
que nada mais tenho que faça a ligação
com o mundo. Lá fora tudo parece inerte
tudo vai jazendo numa onda de rotina
se um dia este vulcão irromper
arrastará atrás dele toda a lama
que sujou a fímbria da minha alma.

2 comentários:

Rogério Pereira disse...

Tens razão
Vulcão
Nada mais faz a ligação com o mundo
senão a tua mão

Arroba das Palavras disse...

-:)