24 fevereiro 2013

Saudades

Este meu coração enlouqueceu de vez
apostado em dar cabo da razão
a pouca que me assiste e já tão débil

qual o remédio para tal loucura
pois já nem sei quem sou
nem o que de mim procura
a outra parte tão perdida
se somos dois ou três
a procurar
o que devia apenas ser um
E saudade enganadora
a fazer lembrar o que não existe
e toda esta vida feita cansaço
ah, deixem-me dormir
devolvam-me o materno regaço
e pousarei lá a cabeça
enquanto tu mãe me afagas
as tranças negras e delas
retiras todo o embaraço.

William-Adolphe Bouguereau- óleo s/tela

1 comentário:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Arrobamiga

Belíssimos versos e excelente gravura. Parabéns!!!

Bjs da Kel e qjs meus

H