08 julho 2012

O Caminho




Esgaravatando dentro de mim, à procura
Procurando-me, sem contudo encontrar
Profanando cantos obscuros, onde o riso
nunca ri. Tal como Prometeu aguilhado.
Oito longos anos a um leito amarrado.
O mesmo tempo tenho levado, procurando
Enquanto a alma num crepúsculo
Se enche de sombras viscerais e
numa estranha voragem, perco-me de todos
e a história vai-se escrevendo, inútil.
Igual a si própria e à de muitos, a ninguém aproveita.
Pois todos me desconhecem e não sabem o meu nome.
Amanhã dirão que não existi,  porque não toquei
A alma de ninguém.
Nasci do ventre de minha mãe e do caminho a percorrer
Até esse me ordenaram que deveria esquecer.

Maria João Nunes
08-07-2012

2 comentários:

GUI disse...

BELO MARIA JOÃO....
BJO **
GUI*

Julieta disse...

"Cada ser é único e incomparável...
Talvez um dia se descubra o porquê de se Ser e de muitos de nós nos perdermos sem nunca nos encontramos...Se um dia que seja alguém nos sorrir..Terá valido a pena sermos; porque alguém nos reconheceu...
Hoje o meu sorriso é para si :)
Beijinho
F.Rodrigues"