29 julho 2012

O Vale da Sombra da Morte

O território português está com mais de 80% de seca. De facto choveu muito pouco. E eu sinto-me seca, já não consigo escrever. Pintar deixei de o fazer há muito tempo. A vida desgasta-nos e desgosta-nos. Ontem foi um dia de cão - daqueles que são abandonados "por causa da crise". Supostamente era dia de aniversário.
Se olharem com atenção aí por uma qualquer rua há sempre um animal famélico de rabo encolhido entre as pernas, acossado pela raça humana - os tais que se dizem seres superiores e com inteligência. É assim que me sinto.
Mas afinal o que é isso de inteligência com tanta guerra que há no Planeta? E a tortura? Apedrejam mulheres até à morte, violam crianças, estripam , manipulam prostituem.
Por tudo isto e muito mais a minha poesia secou.
Outrora alguém me seduziu, encantou e falou-me de St Exupery. Não sei para quê!!!
Afinal eram só palavras. E o mundo está cheio de palavras ocas e desprovidas de conteúdo.
Em nome do Amor e da Amizade cometem-se verdadeiras atrocidades; sobretudo muita violência psicológica.
Depois queixam-se eles e elas que esse mesmo Mundo está virado do avesso. Quem com ferros mata, com ferros morre!
Pudera! Com Q.I. emocionais tão baixos como pode a raça humana ir avante?
Um dia o homem acabará com tudo o que o rodeia; lá diz a velhinha frase : "A 2000 chegarás , de 2000 não passarás".
A Vida  é uma passagem rápida demais para ser desperdiçada. Do meu meio século, os últimos 7 anos - que alguns dizem ser um ciclo - foram um desperdício de investimento afectivo.
Ainda não estou louca, mas para lá caminho! Em mim está a vir à superfície o  lado mais negativo e perverso: uma mulher despeitada  pode escolher o lado mais negro da vida.
Vamos ver quem vence esta batalha. Se Deus ou o Diabo!
Romúlo de Carvalho dizia - e bem - que não acreditava no ser humano. Pois bem, eu também não! E sabe Deus como eu confiava , como de tudo fazia para praticar o bem , usar valores e princípios.
Entrei em regime de tufão pelo vale da sombra da morte.

2 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

Gritantes, estas suas palavras.
Mas as palavras servem também para isso. Gosto de a ler.

beijinho
cvb

Joao Raposo disse...

Ao ler este seu texto, lembrei-me deste outro, aparentemente de sentido contrário. Mas só aparentemente.
"“Aquilo que, creio, produz em mim o sentimento profundo, em que vivo, de incongruência com os outros, é que a maioria pensa com a sensibilidade, e eu sinto com o pensamento.” Fernando Pessoa, O Livro do Desassossego."