19 agosto 2012

Lá dentro pinto de uma imensa cor de verde esperança

 
Só o que escrevo existe de mim
Tudo o mais é o menos que me falta
talvez nem mais nem menos
uma  medida que desconheço.
Consiste assim a soma dos dias
na diferença entre valores
e oscilo, 
mudo de linha
arquitecto o mundo inteiro
em palavras que vou rendilhando
e não me esqueço das aves do céu
dos peixes do mar
das espuma a galgar sob o vento
por cima das ondas do mar
da águia a pairar no ar
vejo até, pasmada, inenarráveis mundos
feitos deste meu sonhar
E vou tão fundo cá dentro
quanto me é permitido
busco  e rebusco, procuro inventar 
o sentido.
Algo me impele, me balança
me instiga, como se criança
Aquela mesma ali, de negra trança.
Só o que escrevo existe de mim
e rola letra a letra , como se fora
esfera, bola , arco circunferência
e lá dentro pinto de uma imensa cor
de verde esperança.
E nascem os campos, e nasce uma flor
e rola o poema, enchendo o riacho
e mais uma palavra que acrescento
parece uma pedra pronta a despenhar-se
do alto penhasco.

E abro estas asas minhas, e solto o desejo
fecho os meus olhos, respirando  fundo
peço um desejo...
sou asa, sou pedra, nuvem, grão de areia
teia de aranha, raio de luar
e rola o poema e rola o pensamento
que nenhum mortal consegue aprisionar.


Maria João Nunes ( inédito) 18/08/2012


Uma Morte Dentro Da Morte

«(...)Morrem de quê, afinal os poetas,
mesmo os que morrem às mãos dos poetas?
Morrem do que calam, não do que dizem.
Porque a poesia ou diz tudo, ou arrisca-se a ser
uma morte fingida dentro da própria morte.»
in O Livro Branco da Melancolia, José Jorge Letria, Quetzal editores


3 comentários:

Álvaro Lins disse...

Acerca do poema o "escrevinhador" só pode dizer que gostou e muito!
Em alguns versos até teve a ousadia de se rever!
Do J.J. Letria, gosto muito e por acaso tenho o livro citado:)
Bjo

Antonio Jesus Batalha disse...

Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
PS. Se desejar seguir meu blog fique á vontade, eu vou retribuir.

Álvaro Lins disse...

E tem "pinta" de ter sido escrito numa esplanada:)
Bjo e bom fim de semnana