14 agosto 2012

Obrigada....



«Não vivemos como mortais, porque tratamos das coisas desta vida como se esta vida fora eterna. Não vivemos como imortais, porque nos esquecemos tanto da vida eterna, como se não houvera tal vida.»
Padre António Vieira, Sermão  de Quarta-Feira  de Cinzas

 

Talvez não seja preciso ir tão longe. Todas as coisas simples estão à distância de um  pequeno gesto . O segredo é purificar o corpo e a mente.

E não há Verdade em lugar nenhum do Mundo. A Verdade apenas existe dentro de nós.
Tudo o que desejo é em mim, nasce-me desta força de gerar um outro eu igual ao que aprisiono.
Precisamente porque o conheço.
Ousarei algum dia não mais querer saber, para não mais desejar?
Poderei encontrar algures a  calma, o bem-estar de um dia de fim de Verão, onde tudo parece harmonizar-se.
Parece...não sei se assim será;  outro eu esvoaça algures, parado na beira do caminho, na sebe de arbustos espinhosos que dão frutos doces.
As árvores oscilam tocadas pelo vento e soltam sons ; lembram  golfinhos a comunicarem.
Luzia a luz quente do sol e as abelhas agitavam-se em zumbidos dourados....

(....) continua...... Será?



2 comentários:

Rogério Pereira disse...

Purificar o corpo e a mente pode ser exercício inútil, até por se desconhecer do que se trata... Mas apesar disso há que reconhecer que todas as coisas simples estão à distância de um pequeno gesto. Descompliquemos o mundo! Façamos-nos perguntas simples e directas!

Álvaro Lins disse...

O Padre António Vieira é um dos meus preferidos; aliás já citado por diversas vezes na minha espécie de blog!
Depois falta-me o engenho e a arte de escrever como tu:)!
Bjo