27 dezembro 2011

Boas Festas


Às vezes olho para as palavras e sinto que estou farta delas. Sempre as mesmas palavras a quererem significar o mesmo. Porque se não lhes muda o sentido e não se reinventam as ditas? Assim por exemplo:  Pátria quereria dizer uma outra coisa que ainda está para se conhecer, porque alteraram a essência, volatilizou-se. Surgiu a Branca de Neve e os anões deixaram de ser sete, para passar apenas a ser um! Tudo é um jogo, um conto, outrora de fadas, hoje de quase terror. A Branca de Neve chama-se agora Merckel  e o seu bobo da corte passou a ser francês- ao menos resta-nos a origem –será que os bobos nasceram em França?!
Hoje estou cheia de interrogações, a ponto de querer inventar novas palavras, talvez porque esteja farta do discurso sem método.
Habituaram-nos na escola a jogarmos o jogo das palavras, esqueceram-se foi de nos darem outro tipo de instruções : não vale fazer batota, poesia e prosa não jogam com determinas siglas tais como TAEG , TBN, TBAN e outras que tais.
E agora que nem as palavras valem, vulgarizou-se o sentido, até os adjectivos não são bem vindos na prosa, assim sendo para que servem? Demasiada adjectivação, demasiadas siglas desprovidas de valores ( mas como muito valor material).
Pergunto para onde rumamos? Não vale escrever aqui a palavra Amor, a maioria foge  dela como o diabo da cruz; sentimentos é coisa azeiteira dizem. A minha geração utiliza muito uma palavra : divórcio, acho eu que está tudo a desmoronar-se, mulheres para um lado , homens para outro! E o sentido das palavras gasto! É por isso, se calhar, que estamos em crise!
Assim sendo, olhem....boas entradas ( não sei muito bem onde, pois cada um entra onde pode) e boas saídas tipo "Meo go, Meo go" – o anúncio mais idiota que por aí anda!!! Até a publicidade anda pelas ruas da amargura! A propósito de saídas, sigam o conselho do nosso PM o P. Coelho que saltou directamente  do País das Maravilhas e aterrou no labirinto do Minotauro, anda às voltas a dizer-nos que já estamos atrasados, perdão falidos !Para 2012 não prevejo nada de bom - nem preciso da palavras da cartomante Maya para chegar a essa conclusão. Se calhar os Maias até tinham razão. A ver vamos! Entretanto vou-me dedicar à pesca, pode ser que no fundo do rio haja um cofre e logo  com a sorte que tenho , em vez de sargo pesco um cofre cheio de palavras novas -J Tchimmm , Tchimmm!!!

3 comentários:

Julieta disse...

:) Não concordo consigo sobre a história da Branca de Neve! Mais para a da Bruxa Má (Merk)apesar de gostar da caracterização do outro personagem...rsrs E até "La Fontaine" ficaria inspirado com tais personagens. Já Camões...pobre Camões...já nem saberia se o pato estaria de fato correto ou assado para o Natal vestido a rigor...E pescar novas palavras...só se forem os "algoritos" Chineses que brevemente aprenderemos a ler! :) Que 2012 traga sapiência e bom senso ao Timoneiro deste Povo sem rumo...E para si tudo de bom!

Giuseppe Pietrini disse...

Hiii!!!...

O que p'ráqui vai...

Isto deve ter sido um sonho de abóbora que lhe caiu mal, cara Arrob@.

BOM ANO NOVO!

A ver se o governo cai logo no início de Janeiro. Isto pior não pode ficar, de qualquer modo...

Petrarca disse...

Pois eu vou prestar mais atenção aos anzois. Com tanta gente a dedicar-se à pesca, mais riscos corro e isso não é nada bom para a minha saúde. E é exactamente isso, saúde, que lhe desejo para este novo ano. E já agora (e contra mim falo) qualquer coisinha que sirva para isco.Boa pesca! :)
Um bjo.