20 janeiro 2008

Bichinho de conta



Meu bichinho de conta
que vive a rolar
Enrolado em si
Enrolado em mi
Pulsando forte
Na palma da mão
Bichinho de conta
Conta a conta
Contando um conto
Fechado e aberto
Redondo e brilhante
No meu coração
De bicho de conta
Conto de bichos
Sem conta nenhuma
Apenas um conto
Fechado e aberto
Sem fecho algum
De contas perdidas.

O Bicho-da-conta é membro da subordem Oniscidea da ordem Isopoda e constituem o maior grupo de crustáceos verdadeiramente terrestres, pertencentes a super família Oniscoidea, que possuem a capacidade de se enrolarem como uma bola o que fornece protecção e auxilia na redução da perda d’água por evaporação.
São pequenos animais terrestres de corpo comprido, normalmente acizentado ou rosado, que vive em locais húmidos, debaixo das pedras ou detritos vegetais. Algumas espécies, quando ameaçadas, enrolam-se numa esfera quase perfeita. Alimentam-se de vegetais apodrecidos

2 comentários:

APCT disse...

Bichinho de conta
Bichinho de conta, conta...
E o bichinho de conta
contou
que um dia
se enrolou
e parecia
um berlinde pequenino
de tal maneira
que um menino
na brincadeira
com ele jogou...

bichinho de conta
conta...
E o bichinho de conta
contou.

Poema de Sidónio Muralha

José Branquinho disse...

Bichinho de conta...
Porque não contas
O que em tuas contas,
De brincadeira,
Me não contas?
Conta...
Conta à tua maneira!
Conta...
Como naquele dia
Em que eu te via
Um berlinde pequenino...
Eu mais existia!
E em meu dasatino
Era mais menino.

Feito numa acção de formação na zona escolar dos Olivais em que participei em 12/02/81
José Branquinho