06 fevereiro 2011

Maresias a solo


Agora sim que é noite escura
Quase uma madrugada pura
Feita de silêncio e calma
E me tenho só para mim
Tendo-te a ti a sonhar,
Agora sim.
Que é negro e denso o meu olhar
Feito do desejo a nascer azul
Para que possas tu
Deslizar nas marés imensas
Quando o meu corpo se transforma
Em todas as coisas intensas
Feitas de espuma e corais
longínquos mares do sul.
Agora que te espero aqui
Invento-te sonhando
Mansamente , enquanto
correm as águas fundas
Na praia desta memória.
Onde as ondas te trazem para mim
E de novo tu me voltas a habitar
És maré, barco, avião, e vens sempre
De mansinho, esse sorriso de menino
Enlaças-me devagar
E dizes-me em tom baixinho
Maria, anda ver o mar…

6 comentários:

Paulo V. Pereira disse...

Obrigado por este belo momento azul.

Abraço.

sonho disse...

Mar...tem os seus encantos para sonhar...
Beijo d'anjo

palito.metrico disse...

LEVEI O MEU PASSADO À FONTE...
Cruzou-se, atormentado,
Chagado,
Com o pó do monte.

LEVEI O MEU PASSADO À ÁGUA...
Banhado,
Atormentado,
Contou-lhe a minha mágoa.

LEVEI O MEU PASSADO AO VENTO...
Dor e sofrimento.

Por que demorais,
Ecos do meu fado,
Com alegria cantado,
Gemido com sentimento?

Quando voltais,
Alvoradas do passado,
Saudades do alento
Sinais do meu tempo?

Arroba disse...

Paulo V. Pereira , grata pelo incentivo. Sensibilizada por me levar à sua escola :)

Arroba disse...

Sonho d'Anjo...o sonho comanda mesmo a vida e é por ele que aqui estamos. Obrigada pela visita .

Arroba disse...

Palito.Metrico, gostei imenso de ler, tocou-me, sabia ?pena não ter um perfil público...