18 fevereiro 2011

Sobre o Mar


Quadro do pintor romântico, Joseph Mallord William Turner, nasceu em Londres, 23 de abril de 1775. Precoce, Turner, com apenas 10 anos de idade, tinha um talento que impressionava. Turner gostava de pintar paisagens, principalmente, o mar (pier, Marinas, cais), rios, cachoeiras e abismos.

Hoje conto-te daquele mar que trás em si
Todas as sombras do mundo.
Cachos de azul profundo


Que nascem e morrem
No leve arco das ondas
São mil volutas, que num instante
Se detêm leves e airosas
Irrompem em cataclismos
Tragando para dentro de si tantas bocas queixosas
Consegue este mar beijar o céu, baixo e enegrecido
Arranca o sol do horizonte
Apaga-lhe o braseiro e leva-o
Para dentro desse imenso azul enraivecido
Com dentes de branca espuma cinzelados
Há uma caravela à deriva
Existem bosques de navios encantados
Misterioso triângulo que nos rouba
O sono, a vida e nos trás amaldiçoados.
O meu nome é azul, azul do mar a bramir
O verde na escuridão, negro verde sempre a pedir
que mergulhes no mar que trás em si todas as sombras.
Mergulha e sente devagar, nunca percas a consciência
De que nunca será nosso o mar.

1 comentário:

Vanessa Souza Moraes disse...

Talvez por não nos pertencer, tantos mistérios há.