09 novembro 2008

Saudades do futuro




Saudades do futuro

Um futuro que nunca terei
Um passado que não existe
Memória que não queria
Pensar
Sequer sentir
Porque não sou presente
Apenas ponte
Entre o ontem e o amanhã
E porque o amanhã
Não existe
Caminho não sei para onde
E o caminhar faz-se
No entanto
De pequenos nadas
Que são parte de um tudo
Que não sei onde começa
Que não sei onde acaba
Apenas saudades
De um futuro
Já perdido à partida

2 comentários:

TRÍPTICO(POEMAS)FERNANDA disse...

Olá Arroba, lindo texto mas, no meu parecer muito triste... Boa semana... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Anónimo disse...

Belissimo. Pronfundo. Real.