27 novembro 2009

O livre arbitrio

O livre arbítrio (a propósito da aula de História Medieval Portuguesa do Prof. Varandas)

Vocês sabem o que é o livre arbítrio? É a capacidade de dizer ( entre outras coisas )que não acreditam em Deus. Mas depois surge a interrogação: - e se o paraíso existe?
E o que eu tenho estado a perder? O paraíso são prados verdejantes, a gente toda vestida de branco, numa plenitude, não há barulhos, mas também não há comezainas!!
E depois? Se eu for para lá , também não há actos de procriação e não havendo actos de procriação , que se lixe o paraíso!

Era nisto que eu pensava antes de conseguir um pouco de concentração para escrever sobre a Noite; sentia-a como um negro animal de olhos húmidos e brilhantes, avançando devagar. Ocupava pouco mais de uma sala de escassos metros quadrados e ia-me sufocando com o seu manto de silêncio. Lá fora um voo tresmalhado de pássaros, adormecidos até ao exagero, tinham caído do galho.
Continuei a querer pensar que o Paraíso não existia. Era muito mais importante sentir que os teus lábios tinham pétalas de flor que o vento espalhava sobre o meu corpo, bailando este até cair exangue nos portões enferrujados do Purgatório ali já perto da esquina.Subitamente, estremeci. Acordei com olhos de carneiro mal morto, sacudi os pensamentos e fechei a janela. A noite ficou lá fora.
E o prof. Varandas continuava debitar matéria para uma aula super-interessada nestas matérias da existência ou não da responsabilidade do ser humano perante escolhas hipotéticas.

3 comentários:

Carapau disse...

Concordo em que é "muito mais importante sentir que os teus lábios tinham pétalas de flor que o vento espalhava sobre o meu corpo", do que ter de ouvir o douto
prof. Varandas a dissertar sobre a existência do paraíso.
Para além do mais, a frase é com certeza mais bonita e mais poética do que todas as frases que ele possa debitar durante uma aula.
(Com o pedido de desculpas ao prof. Varandas que não conheço).
Também se pode cocluir que há sempre espaço para se concordar nuns casos e discordar em outros.
Uma observação à margem:
Tenho tido dificuldade em deixar os comentários. Ou aparecem em duplicado ou não aparecem. A culpa deve ser do sistema. Espero que este "fique bem".

Arroba disse...

Caro sr. "Carapau" a finalidade era mesmo ironizar :) .
Quantos aos comentários, várias pessoas se queixaram do mesmo e, não sei como contornar a situação. Mas não desista por favor, pela parte que me cabe, continuarei a debitar umas quantas frases por aqui.
Obrigada pelo seu comentário.

Anónimo disse...

Não posso deixar de admirar o que posta. As palavras fluem-lhe como um rio serpenteando entre margens. Admirável a forma como escreve!

Sem ser anónima, mas não conseguindo deixar o meu nome, identifico-me: Isa Alves